Francisco diz que Sínodo 2021-2023 tem de ser processo «participado e inclusivo»

Cidade do Vaticano,03 dez 2021 (Ecclesia) – O Papa escreveu uma mensagem para o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, que se assinala hoje, apresentando a Igreja como a sua “casa”, onde cada uma é chamado a contribuir para o atual “percurso sinodal”.

“O Batismo torna cada um de nós membro de pleno direito da comunidade eclesial e dá a cada um, sem exclusões nem discriminações, a possibilidade de exclamar: «Eu sou Igreja». De facto, a Igreja é a vossa casa”, escreve.

Francisco indica às pessoas com deficiência que a Igreja Católica quer fazer do Sínodo 2021-2023 “um processo eclesial participado e inclusivo”, para que a comunidade seja “enriquecida” com a participação de todos seus membros, alertando para a falta de cuidado espiritual que, às vezes, “se manifestou na negação do acesso aos Sacramentos”.

A mensagem cita, em seguida, o novo Diretório para a Catequese, no qual se afirma, de forma explícita, que “ninguém pode recusar os Sacramentos às pessoas com deficiência”.

O Papa quer manifestar diretamente a quem vive com uma “condição de deficiência” que a Igreja precisa deles.

“A Igreja ama-vos e precisa de cada um para cumprir a sua missão ao serviço do Evangelho”, realça.

O texto recorda os impactos da atual pandemia e reitera a necessidade de se cuidar de cada pessoa, “sem que a condição de deficiência seja de obstáculo para o acesso aos melhores tratamentos disponíveis”.

O Papa salienta que os Evangelhos relatam que a vida de algumas pessoas com deficiência “mudou profundamente” quando se encontraram com Jesus e “começaram a ser suas testemunhas”.

A mensagem divulgada pela Santa Sé lamenta que discriminação das pessoa com deficiência ainda esteja “demasiado presente” na vida social, afirmando que a mesma se “alimenta de preconceitos, da ignorância” e de uma cultura que tem dificuldade em “compreender o valor inestimável de toda a pessoa”.

CB/OC

 

Partilhar:
Share