D. Manuel Clemente espera sociedade mais solidária, após experiência de pandemia

Foto: Lusa

Lisboa, 18 mar 2020 (Ecclesia) – O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) manifestou hoje a “total” disponibilidade da Igreja Católica para colaborar com as autoridades no combate à propagação do Covid-19.

“Aquilo que nos pedirem, como já têm pedido ou sugerido, nós fazemos, como aconteceu com esta privação de celebrações habituais e substituição por outras maneiras de estarmos presentes na vida das pessoas”, referiu D. Manuel Clemente, em entrevista à Renascença

“E aquilo mais que nos for pedido, cá estamos”, acrescentou o cardeal-patriarca.

O responsável católico disse acreditar que a sociedade vai sair mais solidária da crise provocada pela atual pandemia, superando uma “situação de muito pouca vizinhança”, em particular no mundo urbano.

“Tem sido muito importante, e bonita até e criativa, a atitude da generalidade daqueles que estão na vida pastoral católica, nas paróquias, nas dioceses, nos institutos religiosos e seculares, nas instituições sociais ligadas à Igreja”, apontou.

O cardeal-patriarca destacou, em particular, a criatividade que tem gerado novas formas de “estar perto das pessoas”, também por parte da Igreja Católica, “através da rádio, através da net, através da televisão”.

“Quando voltarmos ao convício normal das nossas comunidades, certamente, incluiremos muita desta criatividade para estar constantemente próximo das pessoas” assinalou.

Em relação às cerimónias de Semana Santa e à celebração da Páscoa, D. Manuel Clemente aponta o exemplo vindo de Roma para que se consiga conjugar a necessidade de a Igreja estar próxima e ao mesmo tempo não se colocar ninguém em perigo.

“Sabemos sobretudo o que não podemos fazer. O que não podemos fazer é tudo aquilo que põe em risco de contágio a população. Com toda esta criatividade que está a surgir e também com o próprio exemplo que temos tido de Roma, e do que é a atuação do Santo Padre que não deixa de estar presente na Igreja Universal através da televisão e através da internet”, concluiu.

As autoridades portugueses decidiram declarar o estado de emergência em Portugal devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

A medida foi proposta pelo presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, após ter reunido o Conselho de Estado por vídeo-conferência.

O Governo aceitou a medida, que tem ainda de receber o aval da Assembleia da República.

OC

Covid-19: Cardeal-patriarca agradece «dedicação e coragem» dos profissionais de saúde

Partilhar:
Share