Comissão das Conferências Episcopais da União Europeia apela a uma recuperação «através da justiça»

Foto: Lusa/EPA

Bruxelas, 28 mai 2020 (Ecclesia) – A Comissão das Conferências Episcopais da União Europeia (COMECE) considera que a recuperação da Europa deve acontecer “através da justiça ecológica, social e contributiva” e avaliou positivamente o plano de 750 mil milhões de euros da Comissão Europeia, para enfrentar a crise da Covid-19

“Apelamos a um rápido acordo entre os Estados membros e o Parlamento Europeu sobre o plano de recuperação e o próximo quadro financeiro plurianual (QFP). Embora a discussão deva ser dirigida ao bem-comum e guiada por um espírito de solidariedade, a UE deve procurar um acordo que ajude a Europa a se recuperar através da justiça ecológica, social e contributiva”, escreve a Comissão de Assuntos Sociais da COMECE.

A Comissão Europeia anunciou um plano económico de 750 mil milhões de euros, o Plano de Recuperação para enfrentar a crise causada pela pandemia do novo coronavírus, esta quarta-feira.

Os episcopados católicos dos 27 países comunitários consideram que esta proposta “estabelece uma perspetiva clara para uma Europa que procura crescer unida”.

“Um acordo rápido sobre um ambicioso plano de recuperação seria um sinal visível que a UE e seus Estados membros voltaram ao caminho da solidariedade. Complementaria as muitas iniciativas imediatas da UE em resposta à crise, incluindo o primeiro pacote de resgate, as súbitas reações do Banco Central Europeu e os roteiros conjuntos para a recuperação e o levantamento das medidas de contenção da Covid-19”, explicam.

A COMECE, no contexto da “tragédia” provocada pelo novo coronavírus, apela à União Europeia (UE) a “renovar o espírito de solidariedade” e concordar com um plano de recuperação que “coloque a questão da justiça no seu centro”.

“A pandemia de Covid-19 e as suas consequências atingiram a União Europeia de forma inesperada e brutalmente. O surto repentino expôs a vulnerabilidade a crises de saúde pública, bem como a fragilidade e fraquezas da UE agir em tempos de crise”, lê-se no documento, publicano online.

Os bispos assinalam que o “fracasso em demonstrar solidariedade”, o encerramento unilateral das fronteiras e as ações “autocentradas” dos Estados-Membros em março “causaram deceção entre muitos cidadãos em relação ao projeto Europeu”.

“Vamos encontrar uma nova esperança para a Europa numa recuperação conjunta que expressa o nosso renovado espírito de solidariedade e nossa ambição de trabalhar por um futuro justo”, apelam.

Na análise ao plano económico para a recuperação da Europa, a Comissão de Assuntos Sociais das Conferências Episcopais da União Europeia recorda das palavras do Papa Francisco, na Missa do dia 22 de abril: “Neste momento, em que a unidade é muito necessária entre nós, entre as nações, rezemos hoje pela Europa para que consiga criar esta unidade fraterna sonhada pelos pais fundadores da União Europeia”.

No documento, a COMECE salientou que o projeto comunitário nasceu há muito tempo como resposta à tragédia humana causada pela II Guerra Mundial, que inspirou os pais fundadores a criar o que se tornou a União Europeia.

CB/OC

Partilhar:
Share