Francisco pede que se redescubra a convivência e o afeto

Cidade do Vaticano, 16 mar 2020 (Ecclesia) – O Papa rezou hoje no Vaticano por todas as famílias que enfrentam medidas de isolamento, como forma de travar a propagação do novo coronavírus.

“Continuemos a rezar pelos doentes. Penso nas famílias, fechadas em casa, as crianças que não vão à escola, os pais que talvez não possam sair; alguns estarão em quarentena. Que o Senhor os ajude a descobrir novos modos, novas expressões de amor, de convivência nesta nova situação” disse, na homilia da Missa a que presidiu na Capela da Casa de Santa Marta.

A celebração matinal, em privado, continua a ser transmitida, excecionalmente, pelos canais do Vaticano na internet, como forma de manifestar solidariedade e proximidade às pessoas afetadas pelo Covid-19.

Francisco considera que os tempos de maior reclusão podem ser “uma bela ocasião para reencontrar os verdadeiros afetos, com uma criatividade na família”

“Rezemos pela família, para que as relações na família neste momento floresçam sempre para o bem”, apelou, antes de dar início à celebração.

Já na sua homilia, Francisco disse que Deus “age sempre na simplicidade”, como mostrou a vida de Jesus Cristo, “na simplicidade, na casa de Nazaré, na simplicidade do trabalho de todos os dias, na simplicidade da oração”.

O Papa alertou ainda para a atitude da “indignação”, que considerou própria de quem não é humilde, levando muitas vezes à violência.

OC

Partilhar:
Share