Roma, 04 mai 2020 (Ecclesia) – A Itália começa hoje a segunda fase da saída gradual da emergência da pandemia Covid-19 e, segundo um protocolo entre a Conferência Episcopal Italiana (CEI) e o governo, o regresso à celebração comunitária das Missas será no final de maio.

O sítio online Vatican News explica que uma das medidas dos bispos católicos italianos, com o comité técnico-científico do governo, foi não tornar obrigatório a medição digital da temperatura dos fiéis, que permite verificar se a pessoa está com febre, para participarem nas Eucaristias.

Este domingo, num programa de rádio da RAI 1, o porta-voz da CEI, o padre Ivan Maffeis, explicou que esta decisão foi tomada porque muitos italianos estão a assumir as medidas contra o Covid-19 com maior responsabilidade.

A segunda fase para a saída da emergência Covid-19 na Itália conta ainda com restrições importantes” para evitar a propagação do coronavírus com “algumas medidas flexíveis como as cerimónias fúnebres, sendo que o regresso comunitário das Missas previsto para o final de maio, a partir da evolução da curva epidemiológica.

O presidente dos bispos italianos destacou os encontros contínuos e profícuos como o primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte para definir o regresso gradual das celebrações litúrgicas, num comunicado publicado no sábado, dia 2 de maio.

“Partilhamos, com sofrimento, as limitações impostas para defender a saúde de todos, sem atalhos. Procuramos movimentar-nos numa ótica de responsabilidade para defender, sobretudo, os mais expostos; Acolham as medidas sanitárias no horizonte do respeito da saúde de todos, como, também, as indicações dos períodos necessários para protegê-la melhor, desenvolveu D. Gualtiero Bassetti.

O presidente da Conferência Episcopal Italiana salientou também que a Igreja Católica na Itália intensificou a intercessão para ajudar todos, as famílias, os doentes e quem os cuida, quem perdeu o trabalho, neste momento difícil da pandemia do Covid-19, nomeadamente, através das inúmeras obras de caridade que as dioceses e paróquias souberam dar vida e das quais é testemunha, informa o Vatican News.

CB

Partilhar:
Share