D. Manuel Linda afirma que depois da reorganização da pastoral diocesana está em curso a fase do socorro

Foto Diocese do Porto/JLC, D. Manuel Linda, bispo do Porto

Porto, 29 mar 2020 (Ecclesia) – O bispo do Porto disse que, a pedido da Segurança Social, está a ser feito um levantamento das “estruturas paroquiais” que possam alojar pessoas não contaminadas e que tenham de “ser retirados de lares da terceira idade”.

Num texto publicado na página da internet da Diocese do Porto, D. Manuel Linda afirma que estão a ser referenciados centros pastorais, residências não habitadas, salões, e outras estruturas que possam alojar “utentes não contaminados que tenham de ser retirados de lares da terceira idade”.

Num artigo onde apresenta o envolvimento da diocese no combate à pandemia covid-19, o bispo do Porto diz que batalha do coronavírus reclama as atitudes da “união, solidariedade e oração”, valorizou as “relações humanas e a oração” que dos agentes pastorais e as ajudas que a diocese está a prestar.

D. Manuel Linda afirma que a diocese “levou muito a sério esta pandemia” desde o início e estabeleceu “normas restritas e cancelou celebrações muito antes de as autoridades sanitárias terem dado orientações nesse sentido”.

“Agora, está focada no socorro aos infetados, na prevenção e na ajuda aos profissionais que se encontram no terreno”, escreve D. Manuel Linda num artigo divulgado este sábado.

O bispo do Porto enumera depois diferentes estruturas da diocese que foram disponibilizadas às autoridades regionais e nacionais, nomeadamente 75 camas na Casa da Juventude do Seminário do Bom Pastor, em Ermesinde, que vai agora alojar pessoas do Concelho de Valongo que “venham a precisar de isolamento”, assim como a Casa de São Paulo, em Cortegaça, que foi oferecida à Administração Regional de Saúde.

“Como ainda não foi precisa e atendendo à situação de isolamento que se vive no Concelho de Ovar, foi a mesma oferecida, também, ao Presidente da Câmara Municipal de Ovar, que muito agradeceu. Se as circunstâncias o exigirem, também será usada ou para isolar pessoas ou como estrutura para-hospitalar. Dispõe de cinquenta e três camas e de variadíssimas estruturas de apoio”, acrescenta.

O bispo do Porto refere também que, em conjunto com a Irmandade dos Clérigos, a diocese quer oferecer “seis ventiladores a outros tantos hospitais de referência na área da Diocese”, nomeadamente os hospitais Padre Américo (Penafiel), São João (Porto), Santo António (Porto), Pedro Hispano (Matosinhos), Santos Silva (Gaia) e São Sebastião (Santa Maria da Feira).

Devido à “indisponibilidade do mercado” para adquirir ventiladores, a Diocese do Porto vai oferecer a cada um desses hospitais o que “faz mais falta”, de acordo com o for indicado, convocando todos os diocesanos para uma campanha a “ser anunciada brevemente”.

“Evidentemente, o específico de uma instituição como a Diocese são as relações humanas e a oração. E os agentes pastorais estão a cumpri-los exemplarmente, quer a nível dos contactos personalizados (telefone) e do usa das plataformas da comunicação, quer animando e convocando para a oração pelas redes sociais”, conclui D. Manuel Linda.

 

 

Partilhar:
Share