Confederação considera «incontornável» ter em conta esta realidade para que se possam mobilizar mais voluntários

Lisboa, 27 fev 2021 (Ecclesia) – A Confederação Portuguesa do Voluntariado (CPV) apelou que sejam considerados “prioritários” na vacinação contra a Covid-19 os voluntários que pertencem, por exemplo, a equipas de rua, que estão centros de atendimento a pessoas em situação de sem abrigo.

Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, a CPV considera “incontornável” ter em conta esta realidade para que se possam “mobilizar mais voluntários” que já deram provas de terem “proporcionando a satisfação de necessidades que respeitam direitos fundamentais e aliviam dores físicas e emocionais”.

A direção da Confederação Portuguesa do Voluntariado informa que apelou ao secretário de Estado da Saúde e ao coordenador do ‘Plano de vacinação contra a COVID 19 em Portugal’ que também sejam “contemplados como prioritários” os voluntários que desempenham tarefas regularmente e estão “enquadrados em instituições que integram voluntários”, para além dos voluntários que atuam em lares residenciais para idosos.

Neste contexto, indica os voluntários que estão em equipas de rua, em centros de atendimento e de acolhimento a pessoas em situação de sem abrigo, a portadoras de HIV e em situação de isolamento social com visitas domiciliárias, “sendo estas pessoas visitadas, regra geral, com idades avançadas”.

A CPV alerta que o nível de risco “não é só” para este tipo de voluntariado como pode “fragilizar ainda mais” a condição dos destinatários das suas ações, porque muitos, para além das tipologias sociais identificadas, têm “agregados problemas de saúde como tuberculoses, hepatites” e no caso das pessoas em situação de sem-abrigo, que se “refugiam em tugúrios ou mesmo na rua, sujeitas a doenças respiratórias”.

A Confederação Portuguesa do Voluntariado, que tem como finalidade representar os voluntários de Portugal e as respetivas organizações, foi constituída há 14 anos, a 19 de janeiro de 2007, e é constituída por 39 organizações de voluntários ou que os integram, representando mais de 600 mil voluntárias e voluntários.

CB

 

Portugal: Instituições de voluntariado mantiveram ações no contexto da pandemia – Confederação Nacional

Partilhar:
Share