D. António Marto pede à diocese que enfrente «esta provação com fé, confiança e fidelidade»

Leiria, 12 mar 2020 (Ecclesia) – O bispo de Leiria-Fátima afirma os cristãos são chamados a comportar-se como “cidadãos conscientes”, numa nota pastoral sobre a atual emergência de saúde pública.

“Como cristãos somos chamados a comportar-nos também como cidadãos conscientes e colaboradores, assumindo as próprias responsabilidades em sintonia com as disposições das autoridades responsáveis pela saúde pública”, escreve D. António Marto.

Na nota enviada hoje à Agência ECCLESIA, o cardeal português informa que foi cancelada a peregrinação dos escuteiros e a dos jovens, com atividades programadas para a 28 de março, e, no dia seguinte, a Peregrinação Diocesana ao Santuário de Fátima.

Neste contexto, recomenda aos fiéis que “vivam esse dia em ‘espírito de peregrinação’ e que, “sem prejuízo das recomendações das autoridades de saúde” sobre os cuidados para evitar contágios, “tomem iniciativas de alguma atividade piedosa”.

Para além da nota pastoral, foram publicadas também diversas indicações relativas a práticas litúrgicas e outras atividades pastorais que D. António Marto pede que “sejam tomadas muito a sério e cumpridas com rigor”, enquanto durarem as atuais circunstâncias de emergência para a saúde pública originadas pelo novo coronavírus.

O documento recorda as recomendações da Conferência Episcopal Portuguesa e indicações aos fiéis, aos sacerdotes, para a comunhão aos doentes, a catequese, para as igrejas e as celebrações litúrgicas e eventos diversos.

“Os pastores e os responsáveis de comunidades, associações e movimentos eclesiais procurem sensibilizar os fiéis e usem da melhor pedagogia e insistência, para que todos as compreendam e se comportem com sentido de responsabilidade, de amor e de respeito por si próprios e pelos outros”, desenvolve D. António Marto.

No documento com orientações para as celebrações e outras atividades eclesiais, na atual emergência de saúde pública, o bispo de Leiria-Fátima pede à diocese que assuma esta inquietante situação com sentido penitencial, “fazendo todo o possível para viver a caridade de preservar e promover a saúde pública, um bem comum inestimável”.

“Enfrentemos esta provação com fé, confiança e fidelidade. Oremos por todos os infetados e seus familiares, pelos médicos, enfermeiros e agentes sanitários, pelos sacerdotes disponíveis a acompanhar e dar assistência espiritual ao povo de Deus e pelas autoridades que têm a responsabilidade de tomar as medidas necessárias que nem sempre agradam a todos”, conclui D. António Marto.

O bispo de Leiria-Fátima afirma que “exige mudar” os hábitos, e porventura o estilo de vida, “em virtude do apelo à responsabilidade” que está a limitar algumas das atividades quotidianas e das relações face à emergência sanitária do coronavírus Covid-19 está a “pôr à prova, duramente, numerosos países perante uma epidemia inesperada e de tão rápido contágio”, que foi declarada pandemia pela Organização Mundial da Saúde.

A Direção-Geral da Saúde informou hoje que Portugal regista 78 casos confirmados de infeção e 637 suspeitos; a pandemia Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já foram infetadas pessoas em mais de uma centena de países.

CB/OC

Partilhar:
Share