Equipas Jovens de Nossa Senhora organizaram oração do terço online onde reuniram mais de mil pessoas 

Lisboa, 14 mai 2020 (Ecclesia) – As Equipas Jovens de Nossa Senhora (EJNS) reuniram-se, numa plataforma online, para rezar o terço neste 13 de maio, com a companhia do cardeal José Tolentino Mendonça que pediu para “que não deixassem de ter os seus sonhos”.

“Perguntei ao cardeal o que achava que era pedido às equipas jovens neste momento desafiante para a Igreja e ele respondeu, de forma assertiva: ‘não deixem de ter os vossos sonhos, não desanimarem e estarem continuamente a ser sentinelas da esperança’”, contou o responsável nacional da EJNS à Agência ECCLESIA. 

Afonso Virtuoso explicou o hábito das EJNS se reunirem “na noite do dia 12 de maio, ao pé do segundo candeeiro em Fátima e rezar o terço e participar na procissão das velas”, este ano não sendo possível a iniciativa teve de ser adaptada ao online, depois de uma “quarentena virtual, com um plano muito diverso”.

“Este tempo traz as oportunidades e permitiram-nos propor que nos juntássemos em lógica de oração comunitária e o cardeal Tolentino é um padre com uma ligação profundíssima das equipas e foi assistente espiritual, tem uma ligação muito grande, as Equipas são também casa de D. Tolentino”, refere.

O cardeal “mostrou-se logo recetivo” à iniciativa que juntou, na oração do terço, na noite de 13 de maio, “mais de 1000 pessoas, equipistas e antigos equipistas, não equipistas, malta do Brasil e da Colômbia”. 

“Um momento bonito que mostrou o que somos, a unidade na diversidade, esta diversidade de pessoas, gerações e de locais”, aponta.

O responsável nacional da EJNS, Afonso Virtuoso, destacou ainda que “apesar das contrariedades”, como este tempo de confinamento, devido à pandemia, a “criatividade tem de estar sempre ao serviço deste bem maior que é a preservação da fé” e a presença do cardeal Tolentino como “grande exemplo e testemunho de fé vivida na simplicidade”.

Olhando o desconfinamento o jovem responsável reforçou a “disponibilidade das equipas ao serviço da Igreja, de cada um dos setores ao serviço dos seus bispos, para ajudar e facilitar como pudermos no regresso das celebrações comunitárias em segurança”

SN 

Partilhar:
Share