D. João Marcos publicou orientações dirigidas aos agentes pastorais

Beja, 12 mar 2020 (Ecclesia) – O bispo de Beja comunicou à diocese o adiamento das peregrinações à Sé nos dias 15 e 21 de março e apresentou orientações dirigidas aos agentes pastorais, referindo que a catequese deve ser cancelada onde as escolas fecharem.

“Comunico-vos que as peregrinações arciprestais à Sé de Beja no próximo domingo, dia 15 de março (Arciprestado de Beja), e no sábado, dia 21 de março (Arciprestados de Almodôvar e Odemira), foram adiadas para datas a anunciar futuramente”, refere D. João Marcos numa comunicação publicada no sítio da internet da diocese.

As peregrinações arciprestais à Sé de Beja estão a decorrer no âmbito das comemorações dos 250 anos da restauração da diocese, assinalados também com um programa de conferências, que “se realizará”, e com uma exposição aberta ao público.

Na comunicação à diocese, D. João Marcos pede que se evitem “situações de pânico” e deixa um conjunto de indicações, ressaltando que é às “estruturas de saúde” que compete fornecer orientações sobre a pandemia provocada pelo novo coronavírus.

“Cumpra-se o que foi referido pela Conferência Episcopal. Para além de medidas reforçadas de higiene, use-se a comunhão na mão e evite-se o gesto da paz, o uso da água nas pias de água benta, e beijos ou outros gestos de contacto físico com imagens”, indica o bispo de Beja.

D. João Marcos afirma que asseguradas as precauções propostas pela Conferência Episcopal Portuguesa, “as celebrações litúrgicas, mormente a Missa, sacramentos e funerais, para já, decorrerão na forma habitual”.

“Relativamente à catequese, preste-se atenção às Escolas locais: somente se estas fecharem é que se justificará o encerramento da catequese”, acrescenta o comunicado, referindo que as “estruturas eclesiais de apoio à infância”, nomeadamente berçários e creches, devem seguir as indicações dos delegados de Saúde locais.

“Nas costumadas confissões quaresmais tomem-se as devidas precauções, jamais negando a confissão a quem a pedir”, afirma o bispo de Beja.

D. João Marcos deixa também indicações para as celebrações na Semana Santa, afirmando que, “se as circunstâncias não se alterarem, na adoração da cruz, na Sexta feira Santa, evitar-se-ão os beijos e far-se-á reverência à cruz com uma profunda inclinação ou mesmo com a genuflexão”.

“Peçamos a Deus, nosso Pai, que afaste de nós as doenças e nos conceda o dom da saúde e da tranquilidade”, conclui o bispo de Beja.

PR

Partilhar:
Share