D. Francisco Senra Coelho manifesta «disponibilidade» da arquidiocese para «colaborar no combate ao COVID-19»

Foto Agência Ecclesia/HM

Évora, 11 mar 2020 (Ecclesia) – O arcebispo de Évora apelou a uma “atitude de prudência”, pela situação originada pelo coronavírus COVID-19 que “preocupa e convoca”, e pede aos párocos e às comunidades cristãs para “avaliar cada situação” e, “se necessário, cancelar ou adiar”.

“Estamos a viver o tempo da Quaresma e preparamos a Semana Santa, com celebrações próprias, nomeadamente, Procissões, Vias-sacras, Celebrações Penitenciais, Lava-pés e Adoração da Cruz. Em todas as circunstâncias devemos ter presente as orientações emanadas pela DGS e CEP”, escreve D. Francisco Senra Coelho.

Nas orientações enviadas hoje à Agência ECCLESIA, o arcebispo de Évora explica que quem tem a missão de acompanhar os doentes, idosos e sós “deve continuar a fazê-lo com solicitude” e “discernindo” os modos de procedimento em cada caso concreto, “respeitando todas as normas”.

Sobre a Catequese, adianta que cada comunidade paroquial “deve estar atenta aos critérios” propostos pela tutela da Educação para a comunidade escolar em geral e assinala que os Centros Sociais Paroquiais e todas as Instituições de Inspiração Cristã têm “uma preocupação especial”.

“Estas orientações permanecem abertas à evolução dos acontecimentos e a novas orientações que possam ser emanadas pela Arquidiocese de Évora e pelas autoridades competentes, às quais devemos ouvir em todos os casos de dúvida”, lê-se no documento.

O arcebispo está a realizar a visita pastoral à Vigararia de Elvas – composta pelo concelhos de Monforte, Campo Maior e Elvas – e revela que vai estar próximo das comunidades, “respeitando sempre a postura adequada a cada circunstância” e apela “à compreensão” pelas alterações aos programas.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4 mil mortes; cerca de 117 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países; Portugal regista 59 casos confirmados de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

D. Francisco Senra Coelho manifesta o “profundo agradecimento e apreço” a todos os profissionais de saúde por “toda a diligência, excelência e humanidade” demonstrada com todos os doentes e agradece também “a todos os agentes da Comunicação Social pelo esforço e empenho” na sensibilização e esclarecimento da opinião pública para a importância desta situação.

Nas orientações aos párocos e às comunidades cristãs, o arcebispo “reafirma o compromisso” desta igreja local seguir “escrupulosamente” as ordens da DGS – Direção Geral de Saúde e da Conferência Episcopal Portuguesa – CEP, “mantendo sempre uma postura proativa e responsável”, e a disponibilidade” da arquidiocese para “colaborar com todos no combate ao COVID-19”.

CB/OC

Partilhar:
Share