CIDSE vai marcar presença em Madrid, durante cimeira do Clima

Lisboa, 02 dez 2019 (Ecclesia) – A CIDSE – Aliança Internacional das Agências de Desenvolvimento pela Justiça Global, alertou para o que denomina como “soluções de energia ‘falsas’”, numa mensagem a respeito da COP25.

A cimeira das Nações Unidas sobre o clima (COP25) começa esta segunda-feira em Madrid, com a presença de 50 líderes mundiais, incluindo o primeiro-ministro português, António Costa.

As organizações e parceiros da CIDSE, entre as quais a Fundação Fé e Cooperação (FEC), de Portugal, evocam os alertas deixados no recente Sínodo especial sobre a Amazónia, pedindo “ações climáticas urgentes para enfrentar o clamor da terra e o clamor dos pobres”.

“Mostraremos como as soluções de energia “falsas” estão a causar mais danos às pessoas e ao planeta, e mostraremos as soluções positivas que as pessoas conectadas ao local estão a fornecer – para aproveitar o poder da natureza e das pessoas para o bem”, refere a Aliança Internacional das Agências de Desenvolvimento, que vai marcar presença em Madrid.

A COP25 deve definir as regras relativas aos mercados de carbono e mecanismos não mercantis (artigo 6 no Acordo de Paris), rever o Mecanismo de Varsóvia sobre perdas e danos e estabelecer as bases para compromissos climáticos mais fortes.

A CIDSE quer garantir que “as vozes populares da América Latina continuem a ser ouvidas em Madrid”, depois de o governo chileno ter cancelado a realização em Santiago.

“Juntando-nos às pessoas nas ruas de todo o mundo exigindo ação climática, continuaremos a pressionar os governos para que respondam aos seus apelos. Em particular, justiça e igualdade para mulheres, crianças, indígenas, comunidades isoladas e gerações futuras são as nossas maiores prioridades”, pode ler-se no comunicado.

Em Portugal, a Oikos defendeu que a COP25 deve ser “uma cimeira de ação e não de palavras”, para que “sejam finalizadas as regras concretas de implementação do Acordo de Paris e os mecanismos de financiamento do combate às alterações climáticas sejam reforçados”.

A Oikos estará presente na segunda semana da COP25, entre 9 e 13 de dezembro, sendo representada por José Luís Monteiro.

Durante a 25.ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, que se prolonga até 13 de dezembro, são esperadas delegações de 196 países, assim como os mais altos representantes da União Europeia e várias instituições internacionais

OC

Sínodo 2019: Vaticano alerta para destruição «dramática» da Amazónia e enuncia «pecados ecológicos»

Partilhar:
Share