Irmã Violante Manuel, Missionária Reparadora do Sagrado Coração de Jesus, destaca as necessidades do povo

Lisboa, 19 out 2021 (Ecclesia) – A irmã Violante Manuel, Missionária Reparadora do Sagrado Coração de Jesus, é natural de Angola onde se encontra em missão, e contou à Agência ECCLESIA as necessidades do povo do sul do país e o grande desafio da catequese e da educação.

“Hoje é o grande desafio para nós, a educação, a catequese, dar a conhecer o nome de Jesus a todos, nós estamos num grande desafio também é hora de ir aos lugares, trabalhar e ajudar neste momento, a sensibilização para a educação é outro desafio porque o encarregado diz que o filho não pode ir à escola, porque se dedica à pastorícia”, lamenta a religiosa.

A irmã Violante, natural do norte de Angola, depara-se com estes problemas que requerem “sensibilização” e a presença constante das irmãs.

“Eu vivo na comunidade com doze meninas e vamos poder ajudar na sua educação e o desafio é fazê-las aprender a falar o português para depois poderem estudar”, explica.

A religiosa, professora do 1º ciclo, sente esta grande dificuldade na área da educação mas dá o exemplo que tem duas jovens a frequentar o 11º ano, uma realidade “muito gratificante”.

Em missão no sul de Angola, em Namibe, onde o “povo é nómada”, a irmã Violante refere a pobreza com que vivem, numa zona desértica, onde “vivem da pesca” e não é possível cultivar.

“A população é carente de tudo, em Angola quando não se cultiva há muita fome, a maioria vive da pesca e é difícil  a sobrevivência, há gente com fome e muitas vezes nós não conseguimos dar resposta às necessidades da população”. lamenta.

As «Conversas na ECCLESIA» desta semana trazem experiências missionárias que pode acompanhar online de segunda a sexta-feira, pelas 17h00.

SN 

Partilhar:
Share