Missionário da Boa Nova destaca trabalho social e de primeiro anúncio da fé cristã

Lisboa, 20 out 2021 (Ecclesia) – O padre Ricardo Marques, Missionário da Boa Nova, está em missão em Pemba, Moçambique, e disse à Agência ECCLESIA que é “contrastante” a riqueza da província e a pobreza do povo.

“É uma província que, apesar de ter muitas riquezas naturais e pedras preciosas, e em petróleo e ainda, como sabemos, recentemente a descoberta do gás natural, é contrastante ser uma província extremamente pobre”, disse à Agência ECCLESIA.

O missionário refere que o povo vive “abaixo dos mínimos de sobrevivência” e, com os recentes ataques violentos, na zona de Cabo Delgado, a situação agravou-se.

“É ambiente muito complexo mas ao mesmo tempo também desafiante e motivador, apesar destes acontecimentos é um povo simples, que acolhe muito bem a presença dos Missionários, porque entendem que a nossa presença é patilha e qualidade para o povo”, salienta.

Com mais de 3500 mortos e mais de 200 mil deslocados em toda a Província de Cabo Delgado, que foi “atingida em particular”, o padre Ricardo Marques fala da situação frágil de muitas famílias que “acolhem familiares deslocados e chegam a viver 60 ou 70 pessoas numa casa, sem condições”.

O Missionário da Boa Nova esclarece que a sua missão passa, muitas vezes, “pelo primeiro anúncio”, onde a religião católica é minoritária, mas onde as “religiões sempre se deram bem”.

“Trabalhamos muito com a área social e com os jovens, também com o empoderamento da mulher, porque é muito desvalorizada na sociedade; tentamos que haja uma consciência mais crítica das pessoas perante a realidade, o que envolve vários âmbitos da população que tem tantas necessidades”, aponta.

As «Conversas na ECCLESIA» desta semana trazem experiências missionárias que pode acompanhar online de segunda a sexta-feira, pelas 17h00.

SN 

Partilhar:
Share