Johannes Eijken, agente pastoral da Igreja Católica, assumiu desafio de acompanhar os portugueses em 1998

Lisboa, 09 jun 2021 (Ecclesia) – Johannes Eijken, agente pastoral da comunidade de Língua Portuguesa nos Países Baixos, contou à Agência ECCLESIA que esta missão é “um desafio” e que a “comunidade é muito viva”.

“Sou agente pastoral da comunidade de Língua Portuguesa de Haia, é uma comunidade mista sobretudo portugueses e brasileiros, são metade-metade, é comunidade muito viva”, disse.

O entrevistado assumiu esta função “como um desafio”, em 1998, quando a comunidade era maioritariamente portuguesa, mas agora sabe que há mais pessoas que falam a língua de Camões.

“Há portugueses e brasileiros mas influenciam-se uns aos outros, quando entrei na comunidade em 1998 a comunidade era somente portugueses mas tenho dito que sou nomeado pelo bispo ao povo de Língua Portuguesa e sei que cá vivem também brasileiros, angolanos, moçambicanos e guineenses, devemos também contactar esses outros povos”, reconhece.

Johannes Eijken recordou que “houve alguma tensão” mas atualmente há um ambiente de colaboração e destaca que “os portugueses gostam da alegria dos brasileiros e os brasileiros aprendem da seriedade dos portugueses”.

O agente pastoral holandês sente que o seu papel é “acompanhar a comunidade” não sendo “partidário”. 

Num ambiente de famílias, “muitas que migraram nos anos 60 para a Holanda”, o entrevistado conta que muitos portugueses trabalham numa “região de estufas, na colheitas de flores e legumes” e há jovens que chegam para estudar, nomeadamente “no conservatório de música de Haia”.

“Há aqui também uma associação portuguesa onde as pessoas se encontram lá, comem juntos e ouvem música portuguesa, é um grande apoio também; eu participo quando há festa, sou convidado, e é um ambiente sempre agradável”, assume. 

Quanto às celebrações de fé, a comunidade encontrava-se “numa pequena igreja”, onde cada domingo se transformava “numa festa”. 

“Estas redes são também muito importantes para a comunidade mas veio a pandemia, foi sempre um problema encontrarem-se, e o online, para um período limitado é muito útil mas não para continuar para sempre”, assegura.

As ‘Conversas na Ecclesia’, no contexto das celebrações do 10 de junho, vão ao encontro das comunidades católicas de Língua Portuguesa, em diferentes países, percebendo as várias realidades e os efeitos da pandemia, de segunda a sexta-feira, às 17h00 no portal da Agência ECCLESIA e às 22h45, na Antena 1 da rádio pública.

SN

Partilhar:
Share