Professora de Educação Moral e Religiosa Católica aborda percurso de 20 anos no ensino

Porto, 21 set 2021 (Ecclesia) – Mónica Pires, professora de Educação Moral e Religiosa Católica, disse à Agência ECCLESIA que com as “mudanças de escola e lugares ao longo dos anos foi enriquecendo”. 

“A instabilidade para mim, nos primeiros dias custa um bocadinho porque não sabemos o que é que está à nossa espera mas, depois, vai fluindo, conhecer novas realidades para mim é muito significado de enriquecimento pessoal”, afirmou Mónica Pires à Agência ECCLESIA.

A professora de Educação Moral e Religiosa Católica há 20 anos partilhou que já trabalhou em várias dioceses, como Aveiro, Porto, Viseu e Lamego.

“Por todas as dioceses onde eu passei aprendi muita coisa, tentei também deixar a minha marca por onde passei, por exemplo Lamego foi uma realidade muito diferente de trabalhar nas escolas do litoral, porque o interior é um ambiente muito mais calmo, as crianças e adolescentes ainda têm um respeito diferente à escola e aos professores, aos adultos que que os ajudam no dia a dia, no litoral as coisas já não são assim”, assume. 

Mónica Pires, natural da diocese de Aveiro, assume este novo ano letivo como “um recomeço”, ficou colocada na diocese de Viseu mas fez “permuta com um colega que é natural de lá” e vai ensinar numa escola da diocese do Porto, mais perto da sua residência. 

“Vou conhecer uma realidade de um agrupamento de novo, os professores, os alunos, tudo isso é um grande desafio porque nós não sabemos o que é que está à espera de nós e conhecer uma dinâmica diferente causa sempre um bocadinho de ansiedade mas eu acho que isso passa nos primeiros dias”, conta. 

Ainda em agosto esta professora se colocou em contacto com o colega da mesma disciplina, com quem vai trabalhar no novo agrupamento de escolas, para ir preparando a dinâmica que, acredita, a vai tornar “mais rica por conhecer realidades novas”.

Ao longo dos anos, devido às distâncias, Mónica Pires tem contado com a “ajuda familiar, maridos, pais e sogros” em toda a logística necessária de uma família com dois filhos.

“Saio mais forte de todas essas dificuldades, fazem-nos lutar por estratégias para conseguir atingir aquilo que queremos, além de cativar os nossos alunos em sala de aula é mantê-los felizes, empenhados e criativos”, conclui. 

As «Conversas na ECCLESIA» desta semana têm o mote do regresso à escola que implica mudanças e novas atitudes, que pode acompanhar online de segunda a sexta-feira, pelas 17h00.

SN

Partilhar:
Share