Presidente da Assembleia Legislativa Regional da Madeira destaca «imensa riqueza» por explorar

 

Foto: C. M. Porto Santo

Funchal, Madeira, 11 ago 2020 (Ecclesia) – José Manuel Rodrigues, presidente da Assembleia Legislativa Regional da Madeira (ALRM), escolhe o Porto Santo como seu destino de férias, sublinhando o contraste entre as “paisagens abruptas, magníficas”, da Madeira, e o areal da ilha dourada.

“A luta permanente do ilhéu, emparedado entre o mar e a montanha” é também a luta de quem viveu no Porto Santo, nos últimos seis séculos, num contexto muitas vezes marcado pela falta de água e, hoje, com os custos da “dupla insularidade”, refere à Agência ECCLESIA.

O responsável político destaca que a o primeiro território a ser descoberto, em 1418, marcou o início da “expansão portuguesa”, destacando a “importância” que as ilhas tiveram no passado e têm hoje para todo o país – o Funchal, por exemplo, chegou a ser a maior Diocese do mundo.

“Aqui se cruzam culturas, civilizações, povos”, uma riqueza histórica que persiste, por exemplo, nas obras de Arte Sacra que se conservam no arquipélago. Observa José Manuel Rodrigues.

“Temos essa passado, essa herança, mas é importante que se saliente o papel que a Madeira e os Açores têm para Portugal. Isso nem sempre é avaliado do ponto de vista geoestratégico”, oferecendo uma “dimensão Atlântica” que liga o país a outros continentes, acrescenta.

É uma imensa riqueza, que está por explorar e que, espero, seja feito de forma sustentável e racional”.

O presidente da ALRM recorda ainda a importância das comunidades emigrantes, espalhadas pelo mundo.

“Onde está um madeirense, está a Madeira; onde está um açoriano, estão os Açores, e está também Portugal. Essa dimensão planetária que damos a Portugal é importante para a nação”, realça.

José Manuel Rodrigues é o convidado, esta semana, do programa Ecclesia na Antena 1 da rádio pública, pelas 22h45, e das ‘Conversas aGOSTO’, publicadas online de segunda a sexta-feira, a partir das 17h00.

OC

Partilhar:
Share