Isabel Capeloa Gil afirma que o novo cardeal português tem um «percurso absolutamente notável»

Foto Arlindo Homem/AE, Arquivo: Tomada de posse da reitoria da UCP

Lisboa, 01 set 2019 (Ecclesia) – A reitora da Universidade Católica Portuguesa (UCP), Isabel Capeloa Gil, disse em declarações à Agência ECCLESIA que o Papa Francisco tem em D. José Tolentino Mendonça um conselheiro com um “percurso absolutamente notável” e com uma personalidade “profundamente cosmopolita”.

“É um homem de cultura, que demonstrou como a missão evangelizadora da Igreja se manifesta através da arte e da cultura”, afirmou Isabel Capeloa Gil.

A reitora da UCP destaca a juventude de D. José Tolentino Mendonça, que será um dos mais jovens elementos do Colégio Cardinalício, e a sua abertura ao mundo.

Para Isabel Capeloa Gil, o Papa passa a contar com um conselheiro que se destaca como “homem de grande diálogo, com uma posição absolutamente singular na capacidade de articular as diferenças”, prestando atenção à missão da Igreja “em todos os setores da sociedade”

A responsável sublinha ainda a “grande perspicácia” do futuro cardeal português para “analisar os quadros sociais, culturais, para entender os movimentos de transformação das sociedades contemporâneas”.

O Papa anunciou hoje, pouco depois do meio-dia de Roma (menos uma em Lisboa), a decisão de convocar um Consistório para a criação de 13 cardeais, a 5 de outubro, entre eles o arquivista e bibliotecário da Santa Sé, D. José Tolentino Mendonça.

O anúncio da criaçãocardinalícia foi saudado por várias personalidades e instituições, como a Conferência Episcopal, que destacou a “alegria” de poder contar com cinco portugueses no Colégio Cardinalício.

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sublinhou a “excecional relevância do novo cardeal como filósofo, pensador, escritor, professor e humanista”, manifestando a intenção de estar presente no Consistório de 2019.

D. José Tolentino Mendonça nasceu em 1965 na localidade de Machico, no Arquipélago da Madeira, foi ordenado padre em 1990 e bispo no dia 28 de julho de 2018, no Mosteiro dos Jerónimos, quando completava 28 anos de sacerdócio, recebendo simbolicamente a sede episcopal de Suava, no norte de África.

O arcebispo e poeta madeirense é doutorado em Teologia Bíblica, foi vice-reitor da UCP e, em fevereiro de 2018, orientou o retiro de Quaresma do Papa Francisco e seus mais diretos colaboradores, em Ariccia, localidade nos arredores de Roma.

Biblista, investigador, poeta e ensaísta, Tolentino Mendonça foi condecorado com o grau de Comendador da Ordem de Sant’lago da Espada por Aníbal Cavaco Silva, presidente da República em 2015; assumiu o cargo de bibliotecário e arquivista da Santa Sé no dia 1 de setembro de 2018.

O consistório para a criação de 13 novos cardeais, entre os quais D. José Tolentino Mendonça, vai decorrer no dia 5 de outubro, no Vaticano.

PR/OC

Partilhar:
Share