Coimbra: Diocese recebeu lista com nome de um sacerdote no ativo, e «conclui-se que não foi praticada nenhuma forma de abuso»

Da lista com sete nomes de sacerdotes, cinco já faleceram e um padre «sujeito a investigação» que seguiu «para arquivamento»

Coimbra, 11 mar 2023 (Ecclesia) – A Diocese de Coimbra recebeu uma lista com sete nomes de sacerdotes, destes cinco padre falecidos, um a investigação foi arquivada e “um sacerdote no ativo”, que concluíram que “não foi praticada nenhuma forma de abuso sexual de menor”.

Em comunicado, enviado à Agência ECCLESIA, a Diocese de Coimbra informa, sobre o sacerdote no ativo, que pediu “informações à Comissão Independente (CI) para o Estudo dos Abusos Sexuais de Crianças na Igreja Católica em Portugal, que recebeu no dia 9 de março.

“Dessas informações conclui-se que não foi praticada nenhuma forma de abuso sexual de menor. Por esse motivo não lhe foram impostas medidas cautelares, embora esteja em curso a investigação prévia canónica”, explica.

A Diocese de Coimbra recebeu da CI uma lista com sete nomes de sacerdotes, alegadamente abusadores de menores, no dia 3 de março, e destes constam os nomes de cinco sacerdotes falecidos.

A lista tem ainda o nome de um padre que foi sujeito a “investigação pelo Ministério Público e também a investigação prévia canónica”, e, nas duas instâncias, seguiu para arquivamento.

“A Diocese de Coimbra renova o seu pedido de perdão às vítimas e manifesta total disponibilidade para as acolher, acompanhar e ajudar a reparar os danos que lhes foram causados por membros da Igreja.”

A nota de esclarecimento surge na sequência da entrega de uma lista, pela CI, aos responsáveis católicos de Portugal, com nomes de alegados abusadores, referidos nos testemunhos recolhidos pelo relatório final desta comissão, apresentado publicamente no dia 13 de fevereiro.

A Diocese de Coimbra destaca também que a sua Comissão para a Prevenção de Abusos Sexuais de Menores e Adultos Vulneráveis “continua disponível para acolher eventuais denúncias”, pelo endereço de correio eletrónico – prevencaodeabusos@diocesedecoimbra.pt – e por telefone (962 968 415).

Segundo o comunicado, esta Comissão Diocesana está a trabalhar para “iniciar o processo de formação” dos sacerdotes e agentes pastorais ou outros colaboradores das instituições tuteladas pela Igreja, “no sentido da prevenção”, almejando, que “a Igreja seja um lugar de paz e onde qualquer um possa encontrar um porto de abrigo seguro”.

O Vaticano disponibiliza desde 2020 um “vade-mécum” para ajudar os bispos e responsáveis de institutos religiosos no tratamento de denúncias de abusos sexuais de menores.

CB

 

Especial: 15 pontos para entender como a Igreja trata casos de abusos sexuais

Partilhar:
Share
Scroll to Top