Bispo presidiu à Missa Crismal, deixando desafios ao clero da diocese

Foto: Diocese de Coimbra

Coimbra, 01 abr 2021 (Ecclesia) – O bispo de Coimbra pediu hoje ao clero da diocese que inclua no “programa pessoal” a pastoral dos doentes, frágeis e sós.

“É tempo de incluirmos a pastoral dos doentes, dos frágeis e dos que estão sozinhos no nosso programa pessoal”, disse D. Virgílio Antunes, na homilia da Missa Crismal a que presidiu, esta Quinta-feira Santa, na Sé Nova.

Segundo o responsável, quando a Pastoral dos Doentes não existe, “a Igreja falha na sua condição de mãe e de cuidadora de todos os seus filhos”.

Numa intervenção enviada à Agência ECCLESIA, o bispo de Coimbra apelou a uma “verdadeira catequese” sobre este sacramento para que não apareça como “uma ação isolada” na pastoral da Igreja.

A Missa Crismal é a celebração em que o clero de cada diocese se reúne à volta do seu bispo.

Nesta Eucaristia são abençoados os óleos dos catecúmenos e dos enfermos e consagrado o óleo do crisma, utilizados na celebração de vários sacramentos.

D. Virgílio Antunes desejou aos presbíteros e diáconos “ânimo, coragem e criatividade” face às adversidades dos tempos atuais.

A celebração juntou mais de uma centena de sacerdotes, diáconos permanentes e seminaristas da diocese.

LFS/OC

Partilhar:
Share