D. Virgílio Antunes convida a «verdadeira Quaresma» de «penitência, purificação» e «conversão ao amor do próximo»

Coimbra, 06 mar 2019 (Ecclesia) – O bispo de Coimbra destinou o ofertório da renúncia quaresmal ao Fundo Solidário do Instituto Universitário Justiça e Paz que “tem como finalidade ajudar os estudantes pobres”, numa mensagem onde convida a “uma verdadeira Quaresma”.

“Quando as famílias não conseguem suportar e os outros se alheiam, a comunidade cristã não pode passar ao lado e deixar à beira do caminho e sem esperança os jovens que têm direito ao futuro”, afirma D. Virgílio Antunes.

O bispo de Coimbra na mensagem para a Quaresma 2019 explica que o Fundo Solidário do Instituto Universitário Justiça e Paz “existe já há vários anos” e tem como finalidade “ajudar os estudantes pobres a não desistirem do seu percurso académico por falta de meios materiais”.

D. Virgílio Antunes convida “todo o povo de Deus” a uma “verdadeira Quaresma” de penitência, de purificação e de conversão “ao amor de Deus e ao amor do próximo”.

A Quaresma, que começa hoje com a celebração das Cinzas, é um tempo de 40 dias marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, um itinerário de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão, em 2019 no dia 21 de abril.

“A Quaresma tem vindo a marcar pouco a vida concreta dos cristãos porque se tem vindo a perder a centralidade da Páscoa. Esta fica, frequentemente, reduzida a uma festa do calendário, ainda com alguma relevância social, mas com reduzido significado para a fé pessoal, familiar e comunitária”, desenvolve o bispo diocesano.

Segundo D. Virgílio Antunes a “perda da consciência do mal” levaram a Igreja a admitir “no seu seio abusos, que são pecados e crimes contra crianças, contra homens e mulheres e contra a própria criação”

“Somos, hoje, humilhados em toda a terra, porque fugimos a reconhecer as nossas infidelidades e recusámos a penitência como o caminho de humildade e de conversão a que nos convida o Evangelho”, assinalou.

O bispo de Coimbra realça que a Igreja de Cristo está “profundamente manchada” e o convite bíblico “ecoa mais forte”: “Purificai-vos, lavai-vos dos vossos pecados, cobri-vos de saco e de cinza, convertei-vos de todo o coração ao Senhor, vosso Deus.”

“Que o nosso jejum, a nossa esmola e a nossa oração, juntamente com a prática da justiça e da caridade sejam verdadeiramente regeneradoras e sinal da santidade a que somos chamados”, escreve D. Virgílio Antunes na mensagem publicada no sítio online da diocese.

O bispo diocesano preside hoje à Eucaristia, com imposição das Cinzas, que marca o início da Quaresma 2019, às 21h00, na igreja da Sé Nova.

A Diocese de Coimbra propõe para a vivência deste tempo um retiro de Quaresma para “os cristãos que querem que este tempo litúrgico seja espaço para que Deus fale”, entre 15 e 17 de março, das 20h00 às 13h00, na Casa Diocesana de Retiros de Penacova, orientado pelo padre António Felisberto da Diocese de Viseu.

CB

Partilhar:
Share