Três pessoas com formação na área da deficiência vão «pensar» as oportunidades educativas

Foto: Samuel Mondonça/Folha do Domingo

Faro, 05 nov 2019 (Ecclesia) – A Junta regional do Algarve, do Corpo Nacional de Escutas (CNE), criou uma equipa com vista a apoiar a “inclusão de elementos com necessidades educativas especiais”, sendo constituída por três pessoas com formação na área da deficiência.

“Um dos trabalhos dessa equipa vai ser fazer o apuramento de quantos miúdos temos com estas necessidades, que tipo de necessidades têm e em que agrupamentos estão”, explicou Vanda Brazona, ao jornal Folha de Domingo.

Ainda sem esse diagnóstico, a responsável afirma a necessidade de pensar nas “oportunidades educativas” a oferecer às crianças, assumindo a vontade de integrar pessoas com “necessidades especiais” no movimento escutista, que apresenta um programa educativo “preparado” para esse efeito.

Vanda Brazona lamenta a “falta de preparação” que alguns agrupamentos apresentam e destaca, por isso, a importância da nova equipa.

“Temos que ajudar os agrupamentos para que eles consigam receber estes miúdos e não tenham medo”, sustenta.

Em 2018 o CNE lançou o projeto «Escutismo para todos» que inclui a integração de elementos com necessidades educativas especiais, sendo agora necessário “pensar e analisar de que modo poderão ser trabalhadas as oportunidades educativas” das crianças.

A Junta Regional do Algarve criou ainda outra equipa ligada ao método escutista do programa educativo.

Fundado em 1932, o CNE no Algarve conta atualmente com 2400 elementos e 35 agrupamentos.

LS

Partilhar:
Share