Sessões realizam-se na segunda quarta-feira de cada mês, até julho

Coimbra, 13 mar 2019 (Ecclesia) – O Seminário Maior de Coimbra promove a partir de hoje um ciclo de apresentação de curtas-metragens sobre o tema “periferias”, com o objetivo de “ser mais um contributo” na construção da cidade, comentadas por um convidado.

“Não queremos ser apenas mais um olhar entre outros, mas um olhar específico – o olhar cristão”, informa um comunicado enviado à Agência ECCLESIA pelo Seminário Maior de Coimbra.

O ciclo de curtas-metragens segue a proposta do Papa Francisco de “recolocar no centro as periferias”, sejam “geográficas, sociais e existenciais”.

“Um tema que ganha hoje novos contornos”, lembra o comunicado,  acrescentando que hoje é possível “descobrir periferias no centro”.

O Seminário Maior de Coimbra indica que o ciclo de curtas-metragens quer ir “ao encontro de algumas periferias”, “pensar as periferias que habitam a cidade, a comunidade, a cultura, o corpo, o território e a nossa realidade interior”.

O ciclo de curtas-metragens vai decorrer no Salão de São Tomás, no Seminário Maior de Coimbra, na segunda quarta-feira de cada mês, depois das 21h00 e até às 23h00, seguindo um esquema geral de exibição do filme durante 45 minutos, no máximo, e outro tanto para o diálogo, no mínimo.

Hoje, 13 de março, é apresentado o tema “biodiversidade, clima e reflorestação”, com Pedro Bingre, a partir do filme “O homem que plantava árvores”, de Frédéric Back.

Dia 10 de abril, o tema “Corpo, sofrimento e esperança” é analisado com Carlos Saraiva, a partir do filme “Roda no Ar”, de Henrique Manuel Pereira, que vai estar na sessão.

A 8 de maio, a “Liberdade e prisões que nos habitam” é o tema para o diálogo com Laborinho Lúcio a partir do filme “Arena”, de João Salaviza.

O ciclo “Curtas com conversas” tem previsto ainda mais duas apresentações, nos dias 12 de junho e 10 de julho, com temas a indicar na página da internet do Seminário Maior de Coimbra.

PR

Partilhar:
Share