Lisboa, 23 mai 2091 (Ecclesia) – O presidente da República do Brasil participou esta terça-feira num ato de consagração do país ao Imaculado Coração de Maria, no Palácio do Planalto.

Uma nota da Presidência destaca a presença deJair Bolsonaro e do bispo D. Fernando Arêas Rifan, atual ordinário da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney.

Durante a celebração, no Salão Leste do Palácio do Planalto, o chefe de Estado assinou o ato de consagração do Brasil, “pedido da Frente Parlamentar Católica”.

Na cerimónia estavam ainda os ministros da Secretaria-Geral, Floriano Peixoto, e do GSI, Augusto Heleno, bem como representantes de movimentos e comunidades católicas.

Segundo organizadores, o ato surge como resposta ao pedido feito por Nossa Senhora de Fátima, repetindo um gesto que foi levado a cabo por vários Papas e em diversas nações, no último século.

O testemunho dos videntes de Fátima regista que, na aparição de 13 de julho de 1917, a Virgem Maria lhes disse: “Para impedir a guerra virei pedir a consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração e a Comunhão reparadora nos primeiros sábados”.

“Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz; se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas. Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará”, registava Irmã Lúcia, falecida em 2005, nas suas ‘Memórias’.

OC

Partilhar:
Share