Presença de emigrantes em agosto é oportunidade para falar da JMJ Lisboa 2023 a «novos públicos»

Foto COD Bragança-Miranda

Bragança, 03 ago 2022 (Ecclesia) – O diretor do Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil e Vocacional de Bragança-Miranda afirmou que a visita dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude à diocese acontece num mês em que a população duplica, chegando assim a “novos públicos”.

“As nossas aldeias antigamente triplicavam, agora duplicam a população nestes meses. É uma forma de aproveitarmos as comunidades emigrantes para falar das jornadas e motivá-los”, disse o padre António Rodrigues à Agência ECCLESIA.

O responsável do Comité Organizador Diocesano (COD) de Bragança-Miranda referiu-se à chegada dos símbolos à região, no último domingo, e disse que a primeira visita que fizeram foi a uma área ardida, no Concelho de Carrazeda de Ansiães.

“A primeira mensagem que quisemos transmitir foi de apoio aos bombeiros”, afirmou o sacerdote, que coordena a visita da Cruz Peregrina e do Ícone de Nossa Senhora à Diocese de Bragança-Miranda.

Os símbolos da JMJ chegaram à diocese através da Barragem da Valeira, em Carrazeda de Ansiães, num dia em que o concelho estava de luto pela morte de 7 jovens num acidente automóvel.

O programa da peregrinação dos símbolos neste mês de agosto inclui a visita da Cruz Peregrina e do Ícone de Nossa Senhora ao ACANAC, o Acampamento Nacional de Escuteiros, e a participação, até ao dia 7, na Peregrinação Europeia de Jovens, que decorre em Santiago de Compostela.

“Os símbolos voltam a entrar na diocese no dia 7, em Vimioso, no Santuário de Nossa Senhora da Visitação”, indicou o padre António Rodrigues.

Entre os momentos principais de um mês de peregrinação, o responsável pelo COD destaca a apresentação do hino da JMJ Lisboa 2023 em mirandês, que vai acontecer em Miranda do Douro no dia 13 de agosto, assim como a visita dos símbolos aos santuários diocesanos e a participação nas festas da cidade de Bragança, de Nossa Senhora das Graças, no dia 22.

O responsável pela Pastoral Juvenil de Bragança-Miranda referiu-se às dificuldades na organização da peregrinação dos símbolos pelo facto da diocese estar em sede vacante, sem bispo diocesano, e pela realização, no mês de agosto, de muitas festas populares.

O padre António Rodrigues valorizou o ressurgimento de “grupos de jovens coesos” no contexto da preparação da JMJ Lisboa 2023 e da peregrinação dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude, que “podem ser uma esperança para a Pastoral Juvenil na diocese”.

O símbolos da Jornada Mundial da Juventude permanecem na Diocese de Bragança-Miranda até ao dia  4 de setembro e vão depois ser entregues à Diocese de Vila Real.

PR

Partilhar:
Share