Celebração solene da promulgação do título está prevista para 18 de julho

Bragança, 28 jan 2022 (Ecclesia) – O Papa Francisco, através de um decreto da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, concedeu o título de Basílica menor à igreja matriz de Torre de Moncorvo, informou hoje a Diocese de Bragança-Miranda.

Em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, o Secretariado Diocesano das Comunicações Sociais informa que a decisão foi oficializada a 12 de janeiro; a celebração solene da promulgação do título está prevista para o dia 18 de julho.

A nova basílica está inserida no território da Unidade Pastoral de S. José, Arciprestado de Moncorvo.

“Esta atribuição reconhece a importância deste templo na ação pastoral, litúrgica e espiritual e o seu valor patrimonial e arquitetónico”, destaca a nota de imprensa.

D. José Cordeiro, administrador diocesano de Bragança-Miranda e arcebispo metropolita eleito de Braga, recebeu a notícia “com gratidão à Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos”, da Santa Sé, considerando que este é “um sinal da memória agradecida do arcebispo Santo S. Bartolomeu dos Mártires, que ao tempo terá pensado na criação de uma diocese cuja sede fosse naquela igreja matriz”.

O dia 18 de julho de 2022, memória de São Bartolomeu dos Mártires, será o dia do aniversário da Basílica.

O início da construção da igreja matriz de Moncorvo (Nossa Senhora da Assunção) remonta ao ano de 1544 no local de um templo paroquial primitivo.

Situada no Largo General Claudino, em pleno centro histórico da vila, a nova Basílica apresenta um estilo quinhentista, com uma fachada onde domina uma possante torre sineira, com relógio, e rematada por balaustrada.

A capela-mor ostenta na parede fundeira um retábulo barroco de talha dourada, e nas paredes laterais frescos alusivos a cenas bíblicas, entre as quais uma “Última Ceia”.

A igreja é um dos imóveis com maior valor arquitetónico do distrito, considerado mesmo Monumento Nacional desde 16 de junho de 1910.

A proposta de elevação a Basílica foi lançada por D. José Cordeiro e contou com a colaboração da Conferência Episcopal Portuguesa (que na Assembleia Plenária de junho de 2020 deu parecer positivo), do Conselho Presbiteral da Diocese de Bragança-Miranda, da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, da Direção Regional de Cultura do Norte, da Junta de Freguesia de Moncorvo, da Unidade Pastoral de São José e de muitas pessoas e instituições.

Na Igreja Católica há “basílicas maiores” e “basílicas menores”; a palavra basílica, com origem nos termos gregos ‘basileus’ (rei) e ‘basilikos’ (real), era utilizada na Roma antiga para designar grandes edifícios de reunião.

OC

Património: Direção de Cultura do Norte promove intervenção de conservação e restauro da igreja matriz de Torre de Moncorvo

 

Partilhar:
Share