Braga, 27 jun 2020 (ECCLESIA) – A Pastoral Universitária da Arquidiocese de Braga encerra este sábado a proposta de oração «2 minutos de pausa» aos universitários daquela cidade, com a presença do arcebispo diocesano, D. Jorge Ortiga.

A conclusão do ano está marcada com uma eucaristia presencial, presidida pelo Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, no espaço exterior do Centro Pastoral Universitário, este sábado, apenas com a presença dos coordenadores dos grupos da Pastoral Universitária e alguns jovens que fizeram a caminhada nesses mesmos grupos.

Para acompanhar as iniciativas da Pastoral Universitária de Braga aceda  a www.facebook.com/pubraga ou www.instagram.com/pastoraluniversitariabraga.

A proposta «2 minutos de pausa» foi uma forma de “refletir sobre as inquietações e os desafios” e a “relação pessoal de cada um com Deus, para assim fortalecer a vivência espiritual e ganhar energia para a jornada exigente de trabalho e estudo com que cada um se confronta”, salienta uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Nesta fase final de ano, em que os estudantes estão concentrados em cumprir as exigências da vida académica, o desafio do mês de junho é o de uma caminhada de oração e reflexão espiritual diária.

Ao longo de 30 dias, os jovens foram convidados a escutar 30 orações, propostas por 30 universitários cristãos que quiseram partilhar as suas reflexões, cada uma com a individualidade e espiritualidade próprias de cada jovem.

As orações estão disponibilizadas diariamente através do link soundcloud.com/2minutos-pausa, disponível para todos aqueles que se quiserem juntar a este momento de reflexão.

No “contexto atípico” que se vive e “obrigou não só a um afastamento físico” daqueles com quem se convivia fora do círculo familiar, mas também a “depender do recurso às redes”, a Pastoral Universitária procurou apresentar propostas aos universitários que pudessem “servir de refúgio, de encontro e de continuidade na sua caminhada espiritual”, acrescenta o comunicado.

Neste intuito, a Pastoral Universitária de Braga procurou permanecer ligada aos universitários “que a têm acompanhado nestes últimos anos, levando-lhes uma esperança renovada através dos ecrãs dos seus telemóveis, computadores e tablets”.

Para tal, readaptou a linguagem e os processos de comunicação desde o início da pandemia, apresentando um conjunto diversificado de atividades dinamizadas por jovens universitários para os seus pares através das redes, nomeadamente, o “Terço em Rede” rezado todas as 2ª feiras de maio; o momento semanal de oração em “O Silêncio das Quartas”; os encontros semanais para reflexão sobre temas da atualidade na rubrica “Nunca mais é sábado”, que recebeu diferentes convidados da comunidade universitária e a publicação de reflexões semanais de universitários que partilhavam o que viviam em “Narrativas de quarentena de um jovem universitário”.

Para além destas atividades, lançou uma campanha solidária de apoio à Guiné-Bissau, respondendo, assim, ao apelo dos guineenses, através da voz dos bispos das duas dioceses do país, D. José Camnate (Bispo de Bissau) e D. Pedro Zilli (Bispo de Bafatá).

LFS

Partilhar:
Share