Assembleia Diocesana aprovou novo plano de ação

Foto: LOC/MTC Braga

Braga, 25 out 2021 (Ecclesia) – A Assembleia Diocesana de Militantes da Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos – LOC/MTC, da Arquidiocese de Braga, aprovou um novo plano de ação, que destaca a importância de “dignificar o trabalho” e “combater o precariado”.

“Os trabalhadores são confrontados com a sua atividade laboral sem vínculo permanente ou estável, com empregos incertos e inseguros, baixos salários, horários longos, sem contratos de trabalho efetivos e pobres apesar do trabalho”, assinala o comunicado final do encontro, enviado à Agência ECCLESIA.

A reunião decorreu este sábado, com aprovação do plano de ação e do plano de atividades para 2021/2022; A Assembleia Diocesana reelegeu Fátima Pinto como coordenadora diocesana, oriunda do grupo de Delães, Famalicão e como vice-coordenador Albano Cruz, do grupo de Vila Nova de Sande, Guimarães, que substitui o vice-coordenador cessante, Francisco Morgado.

O comunicado final alerta para a “degradação do mundo do trabalho e a vida dos trabalhadores, com o ressurgimento de uma nova palavra – o precariado – que alguns teimam em não querer admitir”.

Foto: LOC/MTC Braga

“As novas realidades de trabalho, novas formas de pensar e organizar o trabalho, deixaram de ser apenas exceções ou situações provisórias e transformaram-se em formas de trabalho permanentes”, indicam os responsáveis da LOC/MTC em Braga.

O texto questiona ainda a falta de segurança no meio laboral, pedindo mais fiscalização e o cumprimento da legislação em vigor.

OC

Partilhar:
Share