Instituição assume missão de fazer das comunidades e instituições católicas «espaços de convivência feliz e segura para todos»

Braga, 29 out 2019 (Ecclesia) – A Arquidiocese de Braga anunciou hoje a criação de uma Comissão de Proteção de Crianças, Jovens e Pessoas Vulneráveis para as comunidades e instituições católicas deste território.

O decreto, assinado por D. Jorge Ortiga, aponta como objetivo a criação e manutenção de “espaços de convivência feliz e segura para todos, especialmente para os menores e os mais vulneráveis e frágeis”.

A criação destes organismos foi determinada pelo Papa, com a carta apostólica ‘Vos estis lux mundi’, de 9 de maio de 2019, a fim de combater os crimes de abuso sexual de menores praticados por membros do clero, dos Institutos de Vida Consagrada ou de Sociedades de Vida Apostólica.

Em Braga, a comissão é composta por “pessoas com experiência nas áreas da psicologia, psiquiatria, na área de crianças e jovens, segurança pública e ensino”.

“A referida Comissão seguirá a legislação civil e canónica, bem como as orientações e normas emanadas da Santa Sé e da Conferência Episcopal Portuguesa, estando permanentemente disponível para acolher e acompanhar todas as possíveis situações que venham a acontecer”, precisa D. Jorge Ortiga.

O organismo tem como coordenador D. Nuno Almeida, bispo auxiliar de Braga, assumindo como missão “colaborar e acompanhar neste sentido, de forma plenamente eclesial e sinodal, na escuta mútua e aberta às contribuições de todos, prevenindo e superando tudo o que o contrarie e necessite de um processo de conversão”.

O Papa Francisco pediu a todas as dioceses católicas que implementem “um ou mais sistemas estáveis e facilmente acessíveis ao público para apresentar denúncias”.

OC

Partilhar:
Share