D. António Manuel Moiteiro afirma que a Igreja «sente necessidade de rever e de aperfeiçoar» a ação evangelizadora

Foto: Diocese de Aveiro

Aveiro, 22 out 2021 (Ecclesia) – O bispo de Aveiro incentivou a diocese a “promover mais qualidade e entusiasmo na missão da catequese”, falando num setor fundamental para a ação da Igreja Católica.

“A pastoral da Igreja não pode prescindir do contexto sociocultural em que se vive. Sempre que a Igreja sente necessidade de rever e de aperfeiçoar a sua ação evangelizadora, passa sempre pela renovação da catequese”, afirma D. António Moiteiro, na mensagem ‘Dar Novo Impulso à Catequese’, publicada online.

A nota, para todos os que se “preocupam com a educação cristã dos mais novos”, começa por explicar “a catequese na missão da Igreja” e assinala que se deve ver “’este tempo’, em que o fosso entre a fé professada e a fé vivida cada vez é maior”, como oportunidade para “promover mais qualidade e entusiasmo na missão da catequese”.

“Assistimos à necessidade de uma catequese que apresente a fé da Igreja de modo integral, rigoroso e fundamentado, capaz de dar resposta às realidades com que nos deparamos. Trata-se, com audácia, de recorrer aos meios ao alcance e ser testemunhas credíveis de Jesus Cristo”, acrescenta o bispo de Aveiro.

D. António Moiteiro, que é também o presidente da Comissão Educação Cristã e Doutrina da Fé (CEECDF) da Conferência Episcopal Portuguesa, refere que a catequese é um processo de “educação na fé”, um progressivo crescimento na compreensão, na assimilação das verdades reveladas, “do sentido da vida, da vida em comunidade”, um elemento fundamental da iniciação cristã.

“A catequese é, pois, a experiência de um novo modo de viver como parte da família humana. Para tal, urge deixar-se levar pela experiência de Deus, pelo testemunho e pela intimidade com a Palavra de Deus, por meio da Sagrada Escritura. Não se pode limitar a uma instrução meramente doutrinal, mas precisa de ser uma verdadeira escola de formação cristã”, desenvolve.

Segundo o bispo de Aveiro, a catequese é, sem dúvida, “a chave do segredo de toda a obra da evangelização” e os destinatários são “todos os homens e o homem todo”.

Na mensagem ‘Dar Novo Impulso à Catequese’, D. António Moiteiro dá também destaque ao novo itinerário nacional de catequese observando que à medida que a Igreja “toma consciência da descristianização do ambiente social”, procura responder a essa situação “renovando” a sua ação pastoral numa perspetiva de evangelização.

Neste contexto, adianta que o itinerário surge na sequência da renovação da catequese que foi propiciada pelo novo diretório e é o conjunto da infância e da adolescência que pretendem renovar: “Criar uma catequese capaz de envolver e dar destaque à família, como protagonista, onde os filhos e os pais fazem uma caminhada de fé e a sua iniciação cristã”.

O bispo de Aveiro refere que a formação na catequese é “uma prioridade” e observa que os desafios hoje “requerem identidade cristã mais pessoal e fundamentada”, e a preparação e formação contínua “é crucial e decisiva”.

O presidente da CEECDF explica que no atual plano de formação de catequistas – o ‘Ser Catequista’ -, que “altera o paradigma” da catequese, corresponde ao primeiro passo de um percurso formativo que pretende potenciar a “identidade do catequista de discípulo missionário” e que vai crescer sempre mais nas etapas formativas seguintes.

D. António Moiteiro lembra aos catequistas que este serviço pastoral “não é uma tarefa opcional, mas parte integrante da identidade cristã”, é a difusão vivencial da vocação, na mensagem publicada online pela Diocese de Aveiro.

CB/OC

Fátima: «Sinodalidade e Catequese» é o tema das jornadas nacionais de catequistas

Partilhar:
Share