32ª viagem internacional do pontificado prolonga-se até 26 de novembro

Fotos: Vatican News

Banguecoque, 20 nov 2019 (Ecclesia) – O Papa chegou hoje à capital da Tailândia, após um voo de mais de 11 horas, desde Roma, para a sua 32ª viagem internacional, que se vai concluir no Japão, a 26 de novembro.

Nos dois países asiáticos, que visita pela primeira vez, Francisco vai levar uma mensagem em favor do diálogo inter-religioso e da paz, evocando ainda as vítimas das bombas atómicas em Hiroxima e Nagasáqui.

O pontífice foi acolhido em Banguecoque por autoridades políticas e religiosas, numa breve cerimónia marcada pelo abraço entre o Papa e a irmã Ana Rosa Sivori, sua prima, missionária na Tailândia há mais de 50 anos, que o vai acompanhar como intérprete nalguns encontros.

Francisco cumprimentou responsáveis políticos, bispos e 11 crianças em trajes tradicionais, antes de entrar num veículo fechado para seguir rumo à Nunciatura Apostólica (embaixada da Santa Sé), para descansar após a viagem.

Num país de maioria budista, onde os católicos representam 0,5% da população, o Papa foi acompanhado por milhares de pessoas ao longo do trajeto, sendo recebido na Nunciatura por seminaristas, noviças e religiosas, bem como por jovens da paróquia local, que dançaram em vestes tradicionais.

Os primeiros missionários a estabelecer-se neste território (no antigo Reino do Sião) foram os dominicanos portugueses em 1567, seguidos pelos franciscanos e pelos jesuítas.

No avião que o levou até à Tailândia, o Papa pediu aos jornalistas que o acompanhavam que ajudem as pessoas a estar informadas e a “conhecer estas culturas tão distantes do Ocidente”.

Os primeiros compromissos oficiais estão marcados para a manhã de quinta-feira (madrugada em Lisboa), no Palácio do Governo e na casa histórica dos monges tailandeses, junto do seu patriarca supremo, Somdej Phra Maha Muneewong.

A agenda inclui uma passagem pelo Hospital St. Louis, fundado por católicos em 1898, antes da visita privada ao rei e a primeira Missa, no Estádio Nacional da capital, que pode acolher 65 mil pessoas.

A sexta-feira é particularmente dedicada à comunidade católica, começando pelo encontro com sacerdotes, religiosos, seminaristas e catequistas, na paróquia de São Pedro; em seguida, os bispos tailandeses e da Federação de Conferências Episcopais Asiáticas reúnem-se com o Papa na igreja adjacente do Santuário dedicado ao Beato Nicolas Bunkerd Kitbamrung.

Os dois últimos compromissos são o encontro com líderes cristãos e de outras religiões, na Universidade de Chulalongkorn, e a Missa com os jovens na Catedral da Assunção, de Banguecoque.

Durante o voo para a Tailândia, o Papa enviou telegramas aos chefes de Estado e de Governo dos países que foram sobrevoados – Croácia, Bósnia-Herzegovina, Sérvia, Montenegro, Bulgária, Turquia, Irão, Afeganistão, Paquistão, Índia e Myanmar – com votos de bem-estar, paz e prosperidade.

OC

Partilhar:
Share