Setor é uma das principais preocupações do novo «manual ecológico» do Vaticano

Cidade do Vaticano, 04 jul 2020 (Ecclesia) – O Papa publicou hoje uma mensagem de apoio às cooperativas para a exploração de energias renováveis, que permitem o “autoabastecimento local”.

“Elas podem fazer a diferença na luta contra as mudanças climáticas, graças a um forte sentido de comunidade e ao amor pela própria terra”, escreve Francisco, na sua conta do Twitter, a respeito do ‘Ano Laudato Si’ que a Igreja Católica está a celebrar até maio de 2021.

O tema está presente na encíclica ecológica e social que o Papa publicou em 2015, na qual destaca o potencial destas cooperativas, sublinhando que “enquanto a ordem mundial existente se revela impotente para assumir responsabilidades, a instância local pode fazer a diferença”.

No quinto capítulo da ‘Laudato Si’, Francisco considera “indispensável um consenso mundial que leve, por exemplo, a programar uma agricultura sustentável e diversificada, desenvolver formas de energia renováveis e pouco poluidoras”.

Segundo o Papa, a “tecnologia baseada em combustíveis fósseis” deve ser substituída “progressivamente e sem demora”.

Cinco anos depois da publicação desta encíclica, o Vaticano lançou um “manual ecológico”, com mais de 200 propostas para a defesa da vida humana e da natureza, no qual defende a descarbonização do setor energético e económico, apelando ao investimento em energia “limpa e renovável”, acessível a todos.

O livro ‘A caminho para o cuidado da casa comum – Cinco anos depois da Laudato Si’, elaborado pela mesa interdicasterial da Santa Sé sobre a ecologia integral, pede um compromisso com o desenvolvimento sustentável, para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa.

O texto aborda a necessidade de uma “transição para energias disponíveis para todos”, com menor impacto sobre a saúde humana e o ambiente, procurando “promover a eficiência energética e a sobriedade nos consumos”.

O Vaticano alerta para a poluição provocada durante a produção, transporte, distribuição e consumo de energia, com os desperdícios associados a este ciclo, centrando a sua atenção na mobilidade urbana.

Ao setor privado é lançado o convite de procurar “economias ecologicamente mais sustentáveis” e inclusivas que respeitem os pobres, marginalizados e pessoas com deficiência, entre outros.

As propostas do Papa Francisco são abordadas pelo projeto ‘On The Way’, uma iniciativa promovida pela Fundação Fé e Cooperação, a Associação Casa Velha e a CIDSE no âmbito dos projetos Juntos pela Mudança II e Europa + Justa.

OC

Porto: Casa Diocesana de Vilar ligou «interruptor» da energia verde nos seus 25 anos

Partilhar:
Share