D. Manuel Linda inaugurou «uma das maiores áreas» de painéis solares da cidade

Porto, 02 jul 2020 (Ecclesia) – O bispo do Porto inaugurou esta quarta-feira os 530 painéis fotovoltaicos instalados na Casa Diocesana de Vilar, uma das maiores instalações do género na cidade, assinalando os 25 anos desta estrutura pastoral.

O padre Samuel Guedes, diretor da instituição, disse hoje à Agência ECCLESIA que os painéis permitem “rentabilidade” e “cuidado da casa comum”.

“Se podemos ter rentabilidade, se podemos ter cuidado da casa comum, isto é, do ambiente, e se podemos fazer mais e melhor tudo junto é uma mais-valia e foi essa a intenção ao pensarmos na remodelação: pensamos fazê-la de uma forma atualizada e naturalmente as energias renováveis estão bem presentes nesta nova reestruturação”, explicou.

O sacerdote sublinhou que houve “uma grande remodelação” da Casa Diocesana de Vilar, ao nível das estruturas, para “poder servir mais e melhor as atividades” que ali se realizam “da vida pastoral, da vida social e também da iniciativa privada”.

A Casa de Vilar tem três auditórios com 1300, 300 e 100 lugares, 124 quartos, uma livraria, restaurante e cafetaria, o que representa “gastos muito grandes” ao nível da energia.

“Precisávamos de olhar para isto e, ao mesmo tempo, queremos alinhar neste caminho da ‘Laudato Si’ para bem da casa comum. Estamos a prever nas nossas contas que esta produção de energia origine uma poupança na nossa faturação em cerca de 40%”, desenvolveu o padre Samuel Guedes, ecónomo da Diocese do Porto, acrescentando que os “excedentes entram na rede e também aí vai haver benefícios”.

A Casa Diocesana de Vilar comemorou as bodas de prata nesta quarta-feira, data em que o bispo do Porto, inaugurou 530 painéis fotovoltaicos que permitem diminuir a emissão de 120 toneladas de CO2 durante um ano – com uma capacidade de produção de energia para 50 habitações familiares.

Foto: Voz Portucalense

D. Manuel Linda destacou esta iniciativa, assinalando que teve “a honra de ligar os novos painéis fotovoltaicos”, numa publicação na sua conta na rede social Twitter, com uma “homenagem a D. Júlio T. Rebimbas”, bispo do Porto, entre 1982 e 1997, que inaugurou esta casa em 1995.

O ecónomo da Diocese do Porto explicou que a Casa de Vilar é o segundo local da Diocese do Porto onde foram instalados painéis fotovoltaicos, depois do Seminário do Bom Pastor, em Ermesinde, que tem uma estrutura de 72 painéis, inaugurados em novembro de 2019, na Semana dos Seminários.

Sobre os 25 anos da Casa Diocesana de Vilar do Porto, o seu diretor observa que estão “a viver este tempo de dificuldades, a casa está quase parada”, mas tinham um conjunto de conferências para celebrar as suas bodas de prata “olhando para alguns pilares do Papa Francisco, a santidade, a pobreza, a misericórdia, a ecologia e o ecumenismo”, que “passando este tempo mais critico” querem retomar.

O padre Samuel Guedes adianta que esta estrutura da diocese quer ser “uma casa que promove cultura, que promove naturalmente todas as atividades pastorais, uma casa de formação”, acolhendo diversas iniciativas.

O projeto é “abrir a casa à iniciativa privada e tentar com as estruturas comerciais e económicas da cidade fazer parcerias, para que se possa fazer caminho de alguma rentabilidade, tirando algum benefício para a manutenção da sua estrutura”.

CB/OC

Partilhar:
Share