«Não tenho um plano preconcebido nem soluções mágicas», refere D. Armando Esteves Domingues

Foto: Agência ECCLESIA/LFS

Porto, 04 nov 2022 (Ecclesia) – D. Armando Esteves Domingues, nomeado hoje como bispo de Angra, dirigiu a sua primeira mensagem à diocese, deixando uma “palavra de esperança” às comunidades católicas e elogios à cultura e tradições dos Açores.

“Que na Diocese de Angra possamos caminhar juntos, sempre com um olhar de esperança. Como não conheço a diocese, o primeiro desafio será conhecer-vos e dar-me a conhecer. Não se caminha com quem não se conhece”, escreve o responsável, num documento enviado à Agência ECCLESIA.

O 40.º bispo da Diocese de Angra era até agora auxiliar na Diocese do Porto.

A sua primeira mensagem dirige-se aos sacerdotes, consagrados, aos ministros não ordenados, dirigentes e membros dos movimentos eclesiais, responsáveis, coordenadores e todos os empenhados nas várias áreas da pastoral.

“Que cada um se sinta desafiado a dar o melhor de si mesmo e a ajudar a ‘tirar do outro com quem se caminha’ o melhor dele próprio! Podeis contar comigo!”, indica D. Armando Esteves Domingues.

A nota assume a caminhada sinodal e Jornada Mundial da Juventude de 2023 como “duas grandes prioridades da Diocese”.

Não tenho um plano preconcebido nem soluções mágicas, mas procurarei inserir-me no caminho que a diocese está a fazer, tanto no percurso sinodal da diocese em comunhão com toda a Igreja, como na corrida, em passo apressado e próprio dos jovens, para a próxima JMJ Lisboa 2023”.

O novo bispo de Angra começa por saudar os Açores, com as suas nove ilhas, “todas ricas de cultura e de património, de história e tradições”.

“Angra é já para mim a mais bonita de todas as dioceses do mundo, pela sua natureza de uma beleza ímpar, mas também pelas pessoas, porque já são ‘minha gente’, ‘minha família’! Teremos tempo para nos conhecermos melhor”, aponta.

D. Armando Esteves Domingues diz assumir a missão “com o mesmo entusiasmo de sempre”, deixando uma palavra aos anteriores bispos de Angra, em especial D. João Lavrador, seu antecessor.

“Uma saudação amiga e reconhecida ao administrador diocesano, P. Hélder Fonseca Mendes que, durante mais de um ano, administrou a diocese”, acrescenta.

Como guião, levo o Evangelho para ler Cristo, todos os dias! Esta opção fundamental torna secundário qualquer projeto ou estrutura e, quando estas nascerem, terão sido geradas na vida da Palavra rezada e vivida. É esta a base do estilo sinodal proposto pelo Papa Francisco, onde opiniões, diferenças ou desacordos, constituirão riqueza para nutrir a reciprocidade. Veremos muita vida nova e vida renovada”.

A Diocese de Angra encontrava-se em sede vacante desde saída de D. João Lavrador, a 21 de setembro de 2021, que foi nomeado pelo Papa como bispo da Diocese de Viana do Castelo.

“No respeito por cada um, pelas instituições e serviços públicos ou privados, tudo farei para ter no meu coração cada mulher ou homem do nosso belo arquipélago dos Açores, independentemente da sua crença religiosa, da sua forma de expressar a fé, da sua concordância ou não comigo”, escreve D. Armando Esteves Domingues.

O novo bispo dirige-se às autoridades regionais e autárquicas, instituições civis, militares e académicas, bem como ao “tecido associativo, cultural, desportivo ou religioso, as Confrarias e organismos laicais”.

“A todos envio uma saudação fraterna. Como sou membro de uma família numerosa, há sempre lugar para muitos mais”, escreve o responsável, oitavo de onze irmãos.

“Gostaria, finalmente, que a minha saudação chegasse a todas as famílias, os doentes, crianças, jovens e sobretudo os mais frágeis”, acrescenta.

D. Armando Esteves Domingues despede-se da Diocese do Porto, para a qual foi nomeado auxiliar a 27 de outubro de 2018, cumprimentando D. Manuel Linda e os seus auxiliares, D. Pio Alves e D. Vitorino Soares.

“Chegarei em breve aos Açores como bispo da diocese de Angra, conhecida pela sua riquíssima cultura e religiosidade populares e pela sua vocação missionária como o atesta o Padroeiro, beato João Baptista Machado. A São Salvador do Mundo, ao beato João Batista e à Mãe do Céu confio o meu múnus episcopal e a eles rezo por cada um de vós. Até breve”, conclui.

D. Armando Esteves Domingues nasceu a 10 de março de 1957 em Oleiros, Diocese de Portalegre-Castelo Branco; foi ordenado padre 13 de janeiro de 1982, na Diocese de Viseu.

A27 de outubro de 2018, o Papa nomeou-o como auxiliar da Diocese do Porto, tendo sido ordenado bispo a 16 de dezembro de 2018, na Catedral de Viseu.

Na Conferência Episcopal Portuguesa, D. Armando Esteves Domingues preside à Comissão Missão e Nova Evangelização.

OC

Igreja/Portugal: D. Armando Esteves Domingues nomeado bispo de Angra

Partilhar:
Share