Vigararia-geral oferece ainda instalações para alojamento dos profissionais de saúde

Angra do Heroísmo, Açores, 19 mar 2020 (Ecclesia) – A Diocese de Angra disponibilizou hoje a Clínica do Bom Jesus para o Serviço Regional de Saúde dos Açores, como “apoio complementar”, e outras instalações em regime de alojamento dos profissionais de saúde que estão em exercício.

“Vimos reforçar o apelo a todos os diocesano a que se mantenha o clima de serenidade e de responsabilidade, que cada um cuide de respeitar integralmente as orientações dimanadas das autoridades de saúde”, lê-se no documento assinado pelo vigário-geral da diocese insular, no contexto do Estado de Emergência decretado pelo presidente da República.

O padre Hélder Mendes contextualiza que a diocese disponibiliza a Clínica do Bom Jesus, “dentro das suas capacidades”, para o Serviço Regional de Saúde, “dada a situação difícil por que passam” os serviços de saúde na região.

“Prestamos a nossa solidariedade e oração por todos os doentes já declarados ara que em breve obtenham a graça da cura e acompanhamos na fé e na esperança a situação de todos que estão em espectativa de resultados médicos”, acrescenta.

Na nota ‘em tempo de epidemia e de emergência’, publicada no Dia litúrgico de São José, é pedido que se “incremente ainda mais” o espírito de oração pessoal e em família, juntando a oração dos bispos europeus.

“A oração é para os cristãos uma obrigação de se dirigirem a Deus pelo bem e pela saúde das pessoas e dos seus semelhantes”, acrescenta o vigário geral.

A Diocese de Angra observa que os funerais se revestem de “uma especial sensibilidade” para as famílias e comunidades mas pede que se respeitem as normas já divulgadas pelas autoridades de saúde e pela própria diocese, um “plano de contingência” em vigor até à Páscoa.

A Autoridade de Saúde dos Açores informou hoje que existe um caso positivo de Covid-19 na ilha do Faial, uma mulher, de 24 anos; o terceiro registado na região, depois de um caso na ilha Terceira e outro na ilha de São Jorge.

Portugal vive desde a meia-noite em “estado de alerta”, a Direção-Geral da Saúde (DGS) informou esta manhã que o número de casos confirmados de infeção é 785: 696 estão a recuperar em casa e 89 estão internados, 20 em Unidades de Cuidados Intensivos.

Das pessoas infetadas em Portugal, três recuperaram e o número de mortos no país subiu para três.

O surto começou na China, em dezembro, já está em 173 países e territórios tendo a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarado situação de pandemia, cujo epicentro.

CB/OC

Partilhar:
Share