Almada, Setúbal, 28 set 2017 (Ecclesia) – O Santuário Nacional de Cristo-Rei, em Almada, homenageou o primeiro bispo da Diocese de Setúbal, D. Manuel Martins, colocando nos pilares a palavra “obrigado” e uma fotografia do prelado.

Quem atravessa a Ponte 25 de Abril, no sentido Lisboa-Almada, vê nos pilares do Santuário de Cristo Rei a palavra “obrigado” e uma fotografia do bispo D. Manuel Martins, que faleceu no domingo 24 de setembro.

Para além da homenagem exterior, o santuário dedicado ao Coração de Jesus também recorda o bispo emérito da Diocese de Setúbal no interior com alguns dados biográficos, como a data de nascimento, a ordenação presbiteral e episcopal, o dia do pedido de resignação e o falecimento na sua terra natal Leça do Balio.

Na entrada para a capela do Santuário de Cristo mais uma vez a palavra “obrigado”, duas fotografias do primeiro bispo sadino, uma mais recente e a oficial, além de flores.

Manuel da Silva Martins nasceu a 20 de janeiro de 1927, em Leça do Balio, concelho de Matosinhos; foi ordenado sacerdote em 1951, após a formação nos seminários do Porto, seguindo-se a frequência do curso de Direito Canónico na Universidade Gregoriana, em Roma.

Pároco da Cedofeita, no Porto, entre 1960 e 1969, D. Manuel Martins foi nomeado vigário-geral da diocese nortenha em 1969, antes de seguir para Setúbal.

No dia 23 de abril de 1998, o Papa João Paulo II aceitou o seu pedido de resignação ao cargo.

O bispo emérito foi agraciado com a grã-cruz da Ordem de Cristo, durante as comemorações do 10 de junho de 2007, em Setúbal, e com o galardão dos Direitos Humanos da Assembleia da República, a 10 de dezembro de 2008.

CB/OC

Partilhar:
Share