Apelos na celebração do Corpo de Deus, que percorreu a baixa de Faro

Foto: Folha do Domingo/Samuel Mendonça

Faro, 21 jun 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve apresentou a Eucaristia como um antídoto para a cultura “individualista”, desafiando os católicos a assumir as consequências da sua fé.

“Numa cultura cada vez mais individualista como aquela em que estamos imersos nas sociedades ocidentais, a Eucaristia é uma espécie de antídoto que age nas mentes e nos corações dos crentes”, afirmou D. Manuel Quintas, no encerramento da procissão com o Santíssimo Sacramento que se realizou esta quinta-feira à tarde, por algumas das principais ruas da baixa de Faro, da igreja de São Pedro para a Sé, no dia em que a Igreja a solenidade do Corpo de Deus.

Numa intervenção divulgada pelo jornal diocesano, ‘Folha do Domingo’, o bispo do Algarve sustentou que, “perante o vazio criado pela falsa liberdade, a comunhão do Corpo de Cristo é remédio para iluminar a inteligência e fortalecer a vontade na redescoberta pelo gosto da verdade e do bem comum”.

“Cultivemos sempre mais o amor pela eucaristia pela participação comunitária na eucaristia dominical, pelo incremento da adoração eucarística nas nossas paróquias, pela visita frequente ao Santíssimo Sacramento”, apelou.

O cortejo litúrgico foi precedido por uma tarde de adoração eucarística na igreja matriz de São Pedro, orientada pelas três paróquias da cidade de Faro.

OC

Partilhar:
Share