Padre Antonio Leuci adianta que estão a preparar três centros para acolher as famílias

 

Foto: Lusa/EPA

Tirana, 26 nov 2019 (Ecclesia) – O diretor da Cáritas da Albânia disse que a organização está a ajudar as vítimas do terramoto desta madrugada, de 6,4 na escala de Richter, que “provocou nove mortos e 600 feridos”, segundo dados oficiais do Ministério da Defesa.

“A situação é bastante grave. Estão a ser formados três centros para acolher as famílias que perderam suas casas: Em Lezha, Durres e em Tirana”, disse o padre Antonio Leuci, em declarações divulgadas pelo Vaticano.

O sacerdote adiantou que à Cáritas da Albânia foi solicitado “ajudar” as vítimas do terramoto “com alimentos” e a organização católica já está a trabalhar com congéneres de outros países, como Itália, e a Cáritas Europa.

“Pedimos a todos os religiosos e religiosas, aos vários diretores da Cáritas diocesana que se informem para compreender qual é a real situação”, acrescentou o diretor da Cáritas albanesa.

Segundo os primeiros dados oficiais do Ministério da Defesa do país, o terramoto atingiu a Albânia às 02h54 (menos uma hora em Lisboa) e já provocou nove mortos e 600 feridos.

O ‘Vatican News’ adianta que já foram encontradas trinta pessoas vivas nos escombros.

Numa declaração publicada online, o presidente da República da Albânia, que já visitou zonas afetadas, escreveu que “é importante trabalhar com dedicação e profissionalismo para salvar toda a vida humana e ajudar os feridos”.

“É importante identificar os residentes que não podem voltar para suas casas e que precisam de moradia; Acredito que todos os nossos cidadãos saberão lidar com esse desastre com solidariedade, coragem e de todas as maneiras que pudermos alcançar nossos irmãos e irmãs feridos”, desenvolveu Ilir Meta.

CB/OC

Partilhar:
Share