«Bestseller» com «mais de 51 milhões de exemplares» é publicado desde o Ano Internacional da Criança

Lisboa, 07 ago 2019 (Ecclesia) – A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre publica há 40 anos uma ‘Bíblia para as crianças’, que já foi traduzida em “191 línguas” e, nalguns casosn é o único livro que muitos menores têm.

“Temos vários testemunhos de que é o único livro que as crianças têm, que recebem através da sua Igreja, do catequista. Aprendem a ler mas também aprendem a Palavra de Deus”, disse a diretora da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) em Portugal.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, Catarina Martins Bettencourt explica que há pais que “não têm capacidade para comprar livros”, para além de existirem zonas em que “não há a facilidade de adquirir um livro”, “não há livrarias como no Ocidente”.

Com “mais de 51 milhões de exemplares”, a ‘Bíblia para as crianças’ apresenta 98 textos, já foi traduzida em 191 línguas e alguns dialetos, que os bispos pedem para que “determinada comunidade não fique sem livros”, sendo distribuída em “mais de 140 países”.

Para Catarina Martins Bettencourt esta é “uma obra importante e impressionante” que com 40 anos é um “bestseller” e um projeto “muito bonito” porque é “uma Bíblia infantil”.

A fundação pontifícia ajuda as crianças a “crescerem na sua fé” e o serviço de evangelização de “catequistas, padres e irmãs espalhadas pelo mundo”.

A ideia da ‘Bíblia para as crianças’ surgiu no Ano Internacional da Criança de 1979, proclamado pela ONU, quando o seu fundador, o padre Werenfried van Straaten, teve a ideia desta oferta como resposta ao apelo do Papa: “Levem a Palavra de Deus aos mais fracos, às crianças que vivem na pobreza e necessidade em tantos países”.

A diretora do secretariado português da AIS explica que são uma instituição pastoral “com o objetivo claro de ajudar a Igreja a permanecer viva junto da comunidade” como vão mostrar nos cinco documentários, sobre as dificuldades da Igreja e dos cristãos perseguidos em diversas regiões do mundo, que vão ser apresentados no programa ECCLESIA, todas as quartas-feiras, de 7 de agosto a 4 de setembro, a partir das 15h00, na RTP2.

Catarina Martins Bettencourt realça que o trabalho desenvolvido pela Ajuda à Igreja que Sofre não seria possível sem o apoio de “mais de 300 mil benfeitores espalhados por todo o mundo” a concretizar “pedidos que chegam desde a formação de padres, religiosas, a construção ou reconstrução de igrejas, a impressão de literatura religiosa, do apoio às comunidades, aos refugiados”.

Neste contexto, assinala que, em 2018, “foram mais de 100 milhões de euros” que angariaram em todo o mundo e em Portugal a solidariedade “aumentou 5% relativo a 2017”.

PR/CB

 

“As crianças precisam de algo como a Bíblia para Crianças para que a imagem de Jesus se possa tornar viva no seu coração. Mas muitas vezes a Igreja não possui os recursos para lhas oferecer na sua própria língua ou é perseguida e está proibida de publicar esses textos. E muitas crianças são tão pobres que não podem comprar um livro. Por isso, vamos, nós, oferecer-lhes a Bíblia para Crianças” – Padre Werenfried van Straaten
Partilhar:
Share