Lisboa, 28 set 2021 (Ecclesia) – O Movimento internacional Laudato Si’ e os líderes da Rede Eclesial da Floresta da Bacia do Congo, em África, incentivaram os cristãos a “cuidar da biodiversidade” e trabalhar contra a crise climática, antes das conferências das Nações Unidas.

As duas organizações estão a incentivar todos os cristãos a “cuidar da biodiversidade” e a trabalhar contra a crise climática antes da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), que se vai realizar de 1 a 12 de novembro, em Glasgow, e da Conferência da ONU sobre a Biodiversidade (COP15) em 2022.

A Rede Eclesial da Floresta da Bacia do Congo tem como missão fazer com que todas as pessoas desta área, “especialmente os jovens”, sejam ativas nas questões relacionadas com “o meio ambiente e a crise climática”.

Com sede na Bacia do Congo, a rede eclesial abrange diversos países – Camarões, República Democrática do Congo, Guiné Equatorial, Gabão e República Centro-Africana – e também trabalha para “garantir” que todos os povos indígenas e comunidades locais da região tenham acesso a “melhores condições de vida através do uso responsável dos recursos naturais”.

O Movimento internacional Laudato Si’ recorda que está a decorrer a petição ‘Planeta Saudável, Pessoas Saudáveis’, que defende o combate conjunto da emergência climática e da crise da biodiversidade, procurando limitar o aquecimento a 1,5ºC, e convida os convidados a assinar o documento até à COP26.

Numa mensagem conjunta, no início do mês da criação, o Papa Francisco, o patriarca Ecuménico de Constantinopla, Bartolomeu I, e arcebispo de Cantuária, Justin Welby, convidaram os líderes mundiais a rezarem antes da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre o Clima.

CB

Partilhar:
Share