Membros da Conferência Episcopal que inclui também Mauritânia e Cabo Verde estiveram reunidos em Dakar

Dakar, 21 nov 2018 (Ecclesia) – Os bispos da Conferência Episcopal de Senegal, Mauritânia, Cabo Verde e Guiné-Bissau, reunidos nos últimos dias em assembleia plenária ordinária em Dakar, lançaram um apelo “a favor de eleições credíveis e pacíficas” na região.

No comunicado final da assembleia, enviado hoje à Agência ECCLESIA, os responsáveis católicos expressam especial preocupação pelos atos eleitorais que se avizinham na Guiné-Bissau e no Senegal.

No país lusófono, a ida às urnas era para ter acontecido no dia 18 de novembro, no âmbito das eleições legislativas, mas dificuldades técnicas e financeiras, e atrasos no recenseamento da população, colocaram em causa a transparência do processo.

O recenseamento foi prolongado durante mais 15 dias, e só depois deverá ser conhecida uma nova data para a concretização das eleições legislativas na Guiné-Bissau.

No que toca ao Senegal, estão em causa as presidenciais em 2019, que por agora contam apenas com um candidato, o atual chefe de Estado Macky Sall, envolto em polémica por alegadamente estar instrumentalizar a Justiça para atingir os seus fins.

Macky Sall admitiu no último fim-de-semana que se ganhar as eleições irá libertar Khalifa Sall e Karim Wade, dois dos seus opositores, o primeiro atualmente detido por desvio de fundos, e o segundo no exílio fora do Senegal por uma dívida de 200 milhões de francos CFA.

“Como pastores, interessamo-nos pela vida social e política dos nossos diferentes países, sobretudo da Guiné-Bissau e do Senegal, que se preparam para as eleições”, referem os bispos da Conferência Episcopal de Senegal, Mauritânia, Cabo Verde e Guiné-Bissau.

Os prelados deixam “um apelo forte à consciência cívica de todos, sobretudo dos atores políticos, em favor de eleições credíveis e pacíficas”, e exortam “todos os candidatos a colocarem como prioridade nos seus programas, o respeito, a promoção do bem comum e os interesses de todos os cidadãos”.

Durante a assembleia plenária em Dakar, os bispos católicos tiveram oportunidade de se encontrarem com o presidente do Senegal, Macky Sall, uma ocasião que aproveitaram para abordar “alguns pontos relativos à vida da nação” africana e convidar o chefe de Estado para “rezar em conjunto pela coesão social e pelo bem-estar das populações”.

Durante os trabalhos, que decorreram entre 12 e 18 de novembro na Arquidiocese de Dakar, os bispos católicos de Senegal, Mauritânia, Cabo Verde e Guiné-Bissau receberam por intermédio do Núncio Apostólico, os cumprimentos do Papa Francisco, com particular destaque para o “estabelecimento das relações diplomáticas entre a Santa Sé e a República Islâmica da Mauritânia”.

JCP

Partilhar:
Share