Irmãs do Bom Pastor são «interpeladas na rua» pelos devotos

Ponta Delgada, Açores, 06 mai 2022 (Ecclesia) – As Irmãs do Bom Pastor, guardiãs do Senhor Santo Cristo dos Milagres, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, são as novas anfitriãs dos peregrinos, principalmente nas festas que regressam de 14 a 26 de maio.

“Somos interpeladas na rua e perguntam-nos: São as irmãs do Santo Cristo, não é verdade? Isso é muito bonito porque as pessoas, apesar de cá estarmos há muito pouco tempo, já nos reconhecem e isto tem a ver com a devoção que estas pessoas têm ao Senhor Santo Cristo”, conta a irmã Jaqueline Mendes ao portal ‘Igreja Açores’, da Diocese de Angra.

A responsável pela comunidade de três religiosas que reside no Convento da Esperança, e que chegou em janeiro deste ano à ilha de São Miguel, acrescenta que, às vezes, quando saem parece que ganham “uma nova identidade”.

“Nunca pensei vir para cá, para uma ilha e à noite. Quando no silêncio da minha oração contemplativa penso nisso, é como se sentisse que vivo no coração do oceano, rodeada de água e com um sentimento muito bom de ter a sorte de poder contribuir para honrar uma devoção tão bonita e tão genuína que a madre Teresa da Anunciada iniciou e que hoje se mantém tão viva”, desenvolveu a irmã Jaqueline Mendes.

As Festas do Senhor Santo Cristo, suspensas nos últimos dois anos devido à pandemia de Covid-19, voltam a realizar-se este ano, de 14 e 26 de maio, com particular destaque para os dias 20, 21 e 22, e a religiosa destaca que “já se sente o brilho nos olhos das pessoas e o sorriso por haver festa”.

“Já começamos a prepará-la com as limpezas e a colocar o que há de melhor para acolher os nossos hóspedes, todos aqueles que vêm à festa”, acrescentou.

Rui Pacheco, que trabalha no santuário cristológico há 14 anos, acrescenta que em termos de preparação, como ainda vivem “no rescaldo da pandemia, há menos gente a trabalhar e as irmãs serão mais observadoras”, e antecipa que “a movimentação vai começar a ser maior” na terça-feira antes das festas.

Maria é uma peregrina diária deste lugar no Campo de São Francisco, em Ponta Delgada, e afirma que “é impossível não gostar de estar ao pé do Senhor Santo Cristo”.

Pedir a sua proteção e agradecer todas as bênçãos que nos dá; O Senhor Santo Cristo é sempre o mesmo mas quando cheira a festa parece que fica mais alegre”.

Segundo a irmã Jaqueline Mendes, os pedidos de oração e as mensagens começaram a chegar de uma forma mais intensa, “uma média de 50 pedidos por dia”, seja no final da Missa, pelo telefone, cartas e bilhetes, que pedem, sobretudo, a “cura de doenças graves”.

Na preparação da festa destaca-se também a iluminação, e o responsável por este setor, João Cabral, adiantou ao sítio ‘Igreja Açores’ que “serão perto de 105 mil e, este ano, a novidade vai para o embelezamento dos alçados e portas central, nascente e poente”.

A festa em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres é, a seguir ao Espírito Santo, a maior devoção dos açorianos, fazendo convergir, anualmente, no quinto domingo a seguir à Páscoa, milhares de fiéis para o Campo de São Francisco, em Ponta Delgada.

A imagem vai estrear uma capa que foi oferecida por um casal natural da Ribeira Grande que vive nos Estados Unidos da América, e o presidente das festas é o cardeal D. José Tolentino Mendonça, arquivista e bibliotecário da Santa Sé.

CB/OC

Açores: Festas do Senhor Santo Cristo têm um “novo” formato

Partilhar:
Share