Angra do Heroísmo, Açores, 30 mai 2018 (Ecclesia) – O Serviço Diocesano da Pastoral da Família de Angra dinamizou um encontro do Movimento Esperança e Vida (MEV), que procura ajudar e apoiar as mulheres na viuvez, para reativá-lo numa diocese onde “se encontra adormecido”.

“[MEV] outrora muito vivo na nossa diocese, tem estado adormecido, mas pode continuar a ter o seu lugar na Pastoral da Familiar”, explicou a organização sobre o encontro realizado esta terça-feira.

Numa nota enviada ao sítio online ‘Igreja Açores’, explicam que o encontro diocesano foi preenchido por “momentos de reflexão, oração-celebração e de alguns compromissos”.

“Tomou-se consciência da realidade das famílias nos Açores e da viuvez”, realça o Serviço Diocesano da Pastoral da Família de Angra que contou com a presença do presidente nacional do MEV, Manuel Carvalhão dos Santos, no Centro Pastoral Pio XII.

Segundo o Anuário Católico, o Movimento Esperança e Vida é uma Associação de Apostolado Laical de âmbito nacional e está implementado em diversas dioceses: Açores, Algarve, Aveiro, Braga, Coimbra, Évora, Funchal, Guarda, Lamego, Leiria-Fátima, Lisboa, Portalegre-Castelo Branco, Porto, Santarém, Setúbal, Viana do Castelo e Viseu.

Em Portugal desde 1958, os estatutos do movimento foram aprovados em Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa, a 12 de dezembro de 2002.

Dos objetivos destaca-se que pretende “ajudar a viúva a encontrar ou a reforçar o equilíbrio humano e espiritual, normalmente abalado pela viuvez, descobrir o apelo de Deus contido na provação da viuvez e responder-lhe generosamente”, assinala o sítio diocesano de Angra.

O Movimento Esperança e Vida nasceu em França, em 1944, no contexto da Segunda Guerra Mundial.

CB

Partilhar:
Share