Livro lançado pela Universidade Católica traça «Anatomia do Poder Eclesiástico»

Lisboa, 11 jul 2022 (Ecclesia) – Alfredo Teixeira, antropólogo e docente da Universidade Católica Portuguesa (UCP), disse à Agência ECCLESIA que abusos sexuais cometidos por membros da Igreja “estão construídos sobre um outro abuso, que é o espiritual”.

“O confronto com este problema é, claramente, um lugar privilegiado de reforma da Igreja Católica, precisamente porque as vítimas destapam, desvelam, aquilo que, em muitos casos, são disfuncionalidades claras”, indica o autor, que colaborou na redação do livro ‘Anatomia do Poder Eclesiástico’.

O responsável questiona o motivo pelo qual diversas instituições católicas tiveram “estratégias de invisibilização” da vítima.

“Este é um problema para todas as instituições, obviamente, mas a Igreja Católica tem de o pensar como um problema próprio”, acrescenta.

O padre João Eleutério, docente da UCP, coordenou a obra lançada pela editora da Universidade Católica Portuguesa, no âmbito do Projeto ‘Cuidar’, da UCP, e financiada pela Fundação Porticus.

“Estamos num momento de redescoberta, de haver outras formas de ministério” que exprimam a atitude de “colocar-se ao serviço de todos”, refere, falando numa “reconfiguração batismal”.

O livro resulta de um trabalho iniciado em 2021, e apresenta sete reflexões acerca de diversas “situações de subversão” da natureza e missão da Igreja, nomeadamente no caso português.

O padre João Eleutério, que escreve sobre o tema “A ministerialidade na Igreja: subversões e ‘redescobertas’”, aponta, entre outras, “subversões no entendimento do ministério presbiteral”.

O século XX, realça o autor, é um “momento-chave”, com a separação Igreja-Estado em vários espaços geográficos, para que as comunidades católicas superem uma relação “complexa e ambígua entre o poder civil e o poder religioso”.

Alfredo Teixeira assina um dos textos da obra, “Instituição, abusos e vítimas: crítica da razão institucional”, identificando o poder como “capacidade de agir sobre o outro”

“Este livro procura não tanto trabalhar o problema do abuso a partir das questões de natureza psiquiátrica ou psicológico”, precisa o entrevistado, mas a partir da forma de “compreender a Igreja, de compreender o ministério ordenado”, para questionar se “pode, de alguma forma, ser facilitador deste tipo de comportamento”.

“Não a causa, mas o contexto que ajuda a perceber um problema que se revela de forma sistémica”, acrescenta, em entrevista emitida hoje no Programa ECCLESIA (RTP2).

No livro, além de João Eleutério e Alfredo Teixeira, colaboram os padres José Manuel Pereira de Almeida, vice-reitor da UCP, que assina o texto “Servir ou servir-se?”, e Peter Stilwell, professor da UCP, responsável pela reflexão “In persona Christi”.

A obra apresenta ainda estudos sobre “Clericalismo e anticlericalismo como ‘agentes de mudança’: uma perspetiva histórica a partir da Carta do Papa Francisco ao Povo de Deus”, de Rita Mendonça Leite, investigadora no Centro de Estudos de História Religiosa da UCP; “Do poder pastoral ao cuidado pastoral”, por Alex Villas Boas, investigador do Centro de Investigação em Teologia e Estudos de Religião da UCP); e “Será este o tempo do perdão? Uma análise do dinamismo do perdão no contexto dos abusos sexuais da Igreja”, Sónia Monteiro, doutoranda da Universidade de Fordham (EUA) e membro do Graal.

HM/OC

Abusos sexuais: Escala geográfica e prática regular implicam olhar para problema como «sistémico» – Alfredo Teixeira

Partilhar:
Share