Tema esteve em cima da mesa em reunião de D. Antonino Dias com o Conselho Presbiteral

Portalegre, 05 mai 2019 (Ecclesia) – O bispo de Portalegre-Castelo Branco vai avançar com a criação de estruturas dedicadas à proteção de menores e ao combate aos abusos, conforme foi determinado pelo Papa Francisco para todas as dioceses, através do Motu Próprio ‘Vos estis Lux Mundi’.

De acordo com um comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, D. Antonino Dias deu conta disso mesmo a todo o clero da Diocese de Portalegre-Castelo Branco, durante a mais recente reunião do Conselho Presbiteral.  

“O conselho respondeu ao repto com propostas concretas que o Sr. Bispo ouviu e que terá em conta para a sua constituição, logo que possível”, refere a mesma nota.

Numa rubrica de opinião semanal publicada na página diocesana na internet, D. Antonino Dias sublinhada a urgência de toda a Igreja Católica estar “em comunhão com o Papa” nesta matéria.

“Embora um só caso fosse já condenável e motivo de alerta para ser denunciado e levar o autor à justiça, de facto, ninguém imaginava a grandeza desta calamidade”, realçava nesse texto o bispo de Portalegre-Castelo Branco.

Através do Motu Proprio (documento por sua iniciativa pessoal) ‘Vos estis Lux Mundi’, que em português significa ‘Vós sois a Luz do Mundo’ , publicado a 9 de maio deste ano, o Papa Francisco determinou a criação em todas as dioceses católicas do mundo de estruturas para a receção e tratamento de denúncias de eventuais casos de abusos sexuais.

Lembrando as “lições amargas do passado” que tocaram a própria Igreja, o Papa argentino assinalou que essas estruturas deverão ser criadas até 2020.

O mesmo documento salienta que a ação eclesial de tratamento dos casos de abusos serão aplicadas “sem prejuízo dos direitos e obrigações estabelecidos em cada local pelas leis estatais”, em particular no que diz respeito a “eventuais obrigações de denúncias às autoridades civis competentes”.

“É bom que se adotem, a nível universal, procedimentos tendentes a prevenir e enfrentar estes crimes que atraiçoam a confiança dos fiéis”, realça Francisco.

A mesma temática foi também destaque num encontro entre o bispo de Portalegre-Castelo Branco e o recentemente nomeado Conselho Diocesano de Pastoral, com estes a darem “o seu parecer” para que se “possa responder o melhor possível ao que o Papa Francisco pede”.

“Comungando da mesma preocupação, os Conselheiros mostraram-se disponíveis para ajudar o Prelado a encontrar pessoas de várias áreas do saber para constituir a estrutura diocesana que responda à necessária prevenção e assinalação de qualquer caso que possa surgir, agindo dentro do espírito das normas e diretrizes de ação já publicadas”, assinala outra nota publicada online pela Diocese de Portalegre-Castelo Branco.

JCP

Partilhar:
Share