Foto: Município de Abrantes

Abrantes, 26 jun 2018 (Ecclesia) – A Câmara Municipal de Abrantes informa que uma família, de cinco pessoas, em Aldeia do Mato, recebeu a chave da sua casa, reconstruída e melhorada, depois de ter sido “consumida” no “grande incêndio” de agosto de 2017.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o Município de Abrantes informa que a Cáritas Diocesana de Portalegre-Castelo Branco “assumiu de imediato” a reconstrução da casa de primeira habitação que foi entregue à família este sábado, 23 de junho.

Na sessão, o presidente da Cáritas Diocesana de Portalegre-Castelo Branco, Elicídio Bilé, destacou o papel do pároco local, o padre Pedro Tropa, como “o grande obreiro”, a família foi recebida pela Fábrica da Igreja e agradeceu a colaboração da Câmara Municipal de Abrantes.

Por sua vez, o bispo diocesano, D. Antonino Dias manifestou “alegria” pelo momento proporcionado “com a colaboração de muitos”.

Já a presidente do município de Abrantes referiu que a reconstrução das casas tem sido possível “graças à generosidade do povo português que confiou na Cáritas os donativos de uma campanha nacional”.

“Ficou patente que o dinheiro é bem gasto para servir as pessoas”, acrescentou Maria do Céu Albuquerque.

O comunicado informa que a Cáritas investiu 150 mil euros na reconstrução da casa entregue no sábado e na de outra habitação, que foi entregue em abril, também em Aldeia do Mato.

A Câmara Municipal de Abrantes foi responsável pela elaboração do projeto de arquitetura e especialidades, pela elaboração do procedimento de lançamento de empreitada e pela fiscalização da obra, entre outros serviços.

Os incêndios florestais de julho e agosto de 2017 foram considerados uma “catástrofe natural”, de acordo com o despacho n.º 8851-A/2017 do Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, publicado em Diário da República a 6 de outubro de 2017.

CB

Partilhar:
Share