No dia 16 de maio de 1997 ficou firmado um acordo com a RTP e 13 confissões religiosas dando origem ao programa «A Fé dos Homens», hoje concretizado também na rádio pública. Paulo Rocha, diretor da Agência Ecclesia que produz os programas da Igreja católica, assinala os 25 anos com o reconhecimento do programa como ator principal na construção de uma cultura de diálogo inter-religioso em Portugal. Este é um projeto nascido entre instituições mas também entre pessoas, que se reconheciam, respeitavam e dialogavam, que continua a apresentar desafios no espaço público e para a Igreja católica em processo de sinodalidade.

 

«Independentemente do nome da instituição há o nome de pessoas concretas que fizeram este caminho. Este projeto fala do diálogo que existiu entre pessoas, que se conheceram, se aproximaram e agiram em conjunto, em benefício de todos. É preciso que as pessoas se conheçam, se gostem e se respeitem. Ficaram célebres as sandes de queijo que se comiam, por ser o alimento possível ser partilhado entre todas as religiões nos encontros que se mantinham»

 

«O ambiente de escuta e sinodalidade foi apelando a uma convergência entre projetos, entre várias dioceses, mas dimensões da presença da Igreja que vão sendo relevantes na sociedade atual – e os meios de comunicação sem dúvida que são – devem ser implicados na definição de projetos que se queiram fazer, de forma transversal, para a Igreja em Portugal»

 

«Sempre me parece que se um produto é bem feito, tem espaço e é reconhecido. Só depende de nós. O trabalho do jornalismo é de equipa: não é de hierarquia, não de afirmação de poder. Parte do conhecimento e da criatividade do jornalista. Quem coordena a equipa só pode soltar a corda porque isto só lá vai por vontade do próprio». 
Partilhar:
Share