D. Nuno Brás destaca a importância do Arquipélago como «plataforma giratória» nas perspetivas política, económica e missionária

Funchal, Madeira, 05 jun 2021 (Ecclesia) – O bispo do Funchal disse à Agência ECCLESIA que as comemorações do Dia de Portugal na ilha significam “fechar com chave de ouro” os 600 anos da descoberta da Madeira e Porto Santo.

“Apesar da distância de Lisboa, há um todo nacional que a Madeira quer continuar a manter, nem se compreende a Madeira sem este todo que é Portugal, faz todo o sentido que as comemorações do 10 de junho tivessem sido no ano passado, mas finalmente este ano fechamos com chave de ouro os 600 anos da descoberta da Madeira e Porto Santo”, referiu D. Nuno Brás.

O responsável católico sublinhou a importância que o Arquipélago sempre teve, “por estar no meio do Atlântico”, aparecer “como plataforma giratória” onde os navios ali passavam, seja ao nível político ou económico, mas “também na perspetiva missionária”.

Com o tempo de pandemia, a Madeira no ano de 2020 teve de fechar as portas ao turismo, o que trouxe a “falta de animação habitual” e “muitos pedidos de ajuda”.

“Agora a sensação que temos é que os números estão controlados, já nos aparecem muito turistas, alguns grupos que visitam já a ilha e a animação habitual do Funchal durante o dia está a retomar aos poucos e isso é muito bom”. 

Também os pedidos de ajuda à Cáritas do Funchal têm vindo a diminuir, segundo D. Nuno Brás “significa que as pessoas têm trabalho” e se está a “retomar a própria economia”, pois “sem turismo a ilha não consegue sobreviver muito mais tempo”.

Para D. Nuno Brás, também ao nível pastoral a “vida aos poucos vai retomando o que era o dinamismo habitual”.

“Creio que o próximo ano pastoral será dedicado responder ao convite do Papa a viver a dinâmica de sínodo e aqui, em princípio, iremos ter como mote esta dimensão da Igreja enquanto comunidade de batizados”, adiantou.

Em 2020, devido à pandemia da Covid-19, o presidente da República cancelou as comemorações do 10 de Junho que estavam previstas para a Madeira e a África do Sul e este ano retoma as comemorações na ilha da Madeira.

A entrevista ao bispo do Funchal, D. Nuno Brás, foi o mote do programa ECCLESIA deste domingo, na Antena 1 da rádio pública.

HM/SN

 

Madeira: Diocese do Funchal, que já foi a maior do mundo, tem mais de 500 anos

Partilhar:
Share