Bispo celebrou em São Joanino os 25 anos de ordenação do padre Virgílio Rodrigues

Foto Gabinete de Informação da Diocese de Viseu

Viseu, 31 jul 2018 (Ecclesia) – O bispo de Viseu celebrou em São Joanino os 25 anos de ordenação do padre Virgílio Rodrigues, que acompanha esta comunidade, e destacou a missão que todos os sacerdotes devem ter, de levar alento e apoio a todas as pessoas.

“Acreditar, mesmo perante o impossível, é um exercício de fé que o sacerdote nos deve ensinar a fazer, através do seu testemunho de vida, da sua fidelidade procurando a força da sua vida no Senhor”, salientou D. António Luciano na Eucaristia que teve lugar no Parque central da localidade.

Durante a homilia da celebração, publicada pelo Gabinete de Informação da Diocese de Viseu, D. António Luciano salientou ainda que se o sacerdote não for “homem da Eucaristia”, nem se pautar por um “estilo de vida simples, humidade”, mas também “acolher e atento”, então “não será imagem de Cristo” para a sua comunidade.

Pois só quem “se oferece” todos os dias pelos outros pode ser sinal do “amor infinito de Deus”, apontou.

O padre Virgílio Marques Rodrigues, de 49 anos, é o vigário episcopal para a Evangelização, Culto e Cultura, na Diocese de Viseu, e membro do Conselho Pastoral Diocesano.

Ordenado a 25 de julho de 1993, o sacerdote está atualmente em missão no Arciprestado de Besteiros.

Desde 2009 que exerce o seu ministério na Unidade Pastoral de Santa Comba Dão, que integra a paróquia de São Joanino, entre outras comunidades.

Um trabalho feito em equipa com outros dois colegas, o cónego Carlos Casal e o padre Pedro Leitão, que também marcaram presença neste dia de festa, a par de vários outros responsáveis católicos, incluindo o agora bispo emérito de Viseu, D. Ilídio Leandro.

Depois de saudar o padre Virgílio Rodrigues, pelo seu aniversário de ordenação, D. António Luciano incentivou-o a procurar ser sempre “um dom de novas vocações para a Igreja”, recordando o papel das famílias nesse despertar dos mais novos para o serviço a Deus.

“Os pais e família dos sacerdotes são os maiores benfeitores de uma diocese”, salientou o bispo, que lembrou ainda o clero presente que o trabalho pastoral no meio da sociedade e do mundo é uma obra sempre em construção.

“Deus precisa sempre de nós, não dispensa o pouco que possuímos para realizar a sua obra de salvação”, completou.

A celebração dos 25 anos de sacerdócio do padre Virgílio Rodrigues prosseguiu depois com um jantar-convívio que contou com a presença de vários representantes autárquicos da região, com particular realce para as juntas de freguesia que integram as paróquias onde o sacerdote trabalha.

Um momento marcado por “uma encenação dramática alusiva à vocação do padre Virgílio”, levada a cabo pelo grupo de jovens JOTRENA.

“O trabalho com jovens tem sido uma marca do serviço pastoral do Padre Virgílio nas paróquias por onde tem passado”, explica a nota do gabinete de informação da Diocese de Viseu.

JCP

Partilhar:
Share