D. Manuel Linda desafiou ao testemunho cristão, «quanto mais simples, melhor»

Porto, 21 abr 2019 (Ecclesia) – O bispo do Porto afirmou na homilia da Vigília Pascal que a Páscoa não é uma “experiência individual” e desafiou os cristãos a comunicar “a todos” o acontecimento da ressurreição através do “testemunho pessoal”.

“Páscoa não rima com experiência individual. Tem de ser facto difundido e comunicado a todos”, disse D. Manuel Linda, na Catedral do Porto.

Para o bispo do Porto, a fé na ressurreição “obriga” a comunicar a todos esse acontecimento, de forma “quanto mais simples, melhor”.

“Não tenhais medo do anúncio. Para isso não são precisas palavras convincentes: chega o testemunho pessoal. Quanto mais simples, melhor. Nesta Páscoa, ide dizer a todos que, por amor de Deus, ‘não busquem entre os mortos Aquele que está vivo’”, afirmou D. Manuel Linda.

O bispo do Porto lembrou que a comunicação da ressurreição é um meio para a transmissão da fé a quem “andará mais esquecido” e gera o “aumento” das convicções “em quem a anuncia”.

D. Manuel Linda sublinhou que o anúncio da ressurreição, como aconteceu entre os primeiros seguidores de Jesus, “faz com que a ressurreição do Senhor deixe de ser uma experiência privada, pessoal, sujeita à ilusão, e se torne um acontecimento de toda a Igreja e vivido como celebração e festa coletiva”.

PR

Homilia do bispo do Porto da Vigília Pascal

Partilhar:
Share